Home > COMUNICAÇÃO > Notícias > Serviços da Assistência Social receberam R$ 2,5 bilhões do Ministério da Cidadania em 2019

Serviços da Assistência Social receberam R$ 2,5 bilhões do Ministério da Cidadania em 2019

Mais de R$ 2,5 bilhões foram repassados pelo Ministério da Cidadania para a Assistência Social nos Estados e Municípios em 2019. Os recursos garantem a manutenção de ações, serviços, gestão e programas voltados ao atendimento direto à população mais vulnerável de todo o país. Do total, a maior parte – R$ 2,451 bilhões – foi para os serviços de Proteção Social Básica e Especial. O valor restante foi encaminhado para área de Gestão e Programas da rede.

Com os recursos nos Fundos Municipais e Estaduais de Assistência Social, os gestores devem realizar o pagamento dos profissionais que atuam no atendimento das pessoas em situação de vulnerabilidade e risco. E também investir nos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) e nos Centros de Referência Especializados de Assistência Social (CREAS).

A secretária Estadual de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho de Mato Grosso do Sul, e também presidente do Fórum Nacional de Secretários de Estado da Assistência Social (FONSEAS), Elisa Cléia Nobre, afirma que os valores serão utilizados na manutenção dos serviços. “Esse dinheiro vai dar um fôlego para todos os serviços que são executados dentro do Sistema Único de Assistência Social. Ele vai preservar todas as equipes que estão nos CRAS e nos CREAS, que prestam o atendimento essencial à população”, assegurou.

Para a área de Gestão e Programas de Assistência Social da rede, o repasse do governo federal passou de R$ 81,8 milhões. A presidente do Colegiado Nacional de Gestores Municipais de Assistência Social (CONGEMAS), Andréia Carla Lauande, destaca que o recurso deu fôlego aos municípios que não conseguiam manter as contas em dia. “Esse repasse é importante para a garantia do SUAS no Brasil. Os municípios já começam o ano conseguindo regularizar parte de suas contas e isso, para nós, é de suma importância”, concluiu.