Home > Coronavírus > Secretaria de Saúde atualiza metodologia para aperfeiçoar dados do Boletim Epidemiológico

Secretaria de Saúde atualiza metodologia para aperfeiçoar dados do Boletim Epidemiológico

Simplificação nos sistemas de notificação da Covid-19 deve reduzir defasagem de informações

A diferença entre os números do Boletim Epidemiológico emitido diariamente pela Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais (SES-MG) e os números dos boletins municipais pode ser explicada pela metodologia de verificação dos casos confirmados, com o repasse ou não – por parte dos municípios – destes dados para o sistema em tempo real. Atualmente, a equipe do Boletim Epidemiológico/Sala de Situação SES-MG analisa todas as informações sobre os casos notificados nos Sistemas de Informação E-SUS VE e Sivep-Gripe, bem como dados laboratoriais registrados no Sistema de Gerenciamento Laboratorial (GAL), laudos de laboratórios particulares, dados referentes a testes rápidos registrados nos sistemas de informação e no link notifica.exames.

Após a organização desta informação em uma planilha matriz, esse material é enviado, todos os dias, para as 28 Unidades Regionais de Saúde que irão, juntamente com os municípios da sua área de abrangência, corrigir casos ou informações, validar e enviar para a Sala de Situação do nível central para que sejam feitas as análises pertinentes.

Paralelamente a esse processo de trabalho para o Boletim Epidemiológico, os municípios devem notificar e investigar os casos suspeitos e confirmados para Covid-19 nos sistemas de informação em saúde (E-SUS VE para casos leves e SIVEP-GRIPE para casos graves e óbitos). A partir deste lançamento, feito on-line, os dados passam a integrar a base da SES-MG. No entanto, pode acontecer de o município não executar o procedimento imediatamente, ou até demorar dias para fazê-lo. O que já explica um gargalo desta contabilidade.

Além do descompasso entre as notificações nos sistema on-line, a recepção de outra planilha, preenchida diariamente, pelos municípios, também constitui mais uma possibilidade de desvio, visto que não traz números absolutos. Se levarmos em conta que o Estado tem 853 municípios e cada um deles, no decorrer da pandemia, deixar de lançar dois casos no sistema, haverá diferença de 1700 casos entre os dados exibidos pela SES-MG e os números dos municípios.

Para minimizar as defasagens e ter um retrato o mais fiel possível à realidade, a Sala de Situação/SES-MG vem estudando a atualização da metodologia, que deve ser apresentada para as Unidades Regionais de Saúde, segundo a coordenadora da Sala de Situação. Concomitantemente, a SES-MG continua a fomentar o preenchimento do ESUS VE e do SIVEP-GRIPE. Dessa forma, estarão reunidos os dados para o Boletim Epidemiológico e demais informações nos sistemas oficiais.

Mais informações com a assessora do departamento de Saúde da AMM, Juliana Marinho, pelo telefone (31) 2125-2433.

Fonte: Secretaria de Estado de Saúde.