Home > AMM na imprensa > Portal EM – Se eleito, Antonio Anastasia diz que quer regularizar repasses a municípios

Portal EM – Se eleito, Antonio Anastasia diz que quer regularizar repasses a municípios

Candidato ao governo de Minas pelo PSDB, Antonio Anastasia afirmou que, caso seja eleito, vai priorizar a regularização dos repasses das verbas públicas para as prefeituras. Segundo a  (), a dívida do governo de Minas com os municípios é de R$ 9,4 bilhões.

A associação alega que a maior parte dos recursos corresponde à arrecadação do ICMS em Minas, além de verbas oriundas do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) e da Saúde.

O senador participou nesta segunda-feira (22) de uma sabatina promovida pela  com os postulantes ao Palácio da Liberdade.

“Os prefeitos sabem que a situação do Estado é ruim, então, no caso da nossa eleição, vamos ter que sentar com eles, mostrar os números de maneira extremamente aberta e transparente, para que possamos de imediato regular o fluxo, que é o mais importante e discutir os débitos para trás. O importante é a regularização dos fluxos para que as prefeituras não entrem em colapso”, pontuou o tucano.

Entretanto, apesar da grave crise econômica do Estado, o senador disse que não pretende lançar mão da securitização, que é a venda de parte da dívida de empresas com o Estado, adiantando o recebimento desses recursos.

A implementação da securitização é desejo atual governador Fernando Pimentel (PT). O processo segue em tramitação na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG).

“O Estado para fazer esse tipo de operação de crédito tem que ter credibilidade. Hoje, Minas Gerais não tem credibilidade. A realidade é que o Estado perdeu totalmente a confiança do mercado. Isso certamente vai prejudicar muito a venda desses títulos. E o pior, qual está sendo o deságio? Nós não podemos entregar um título que vale R$ 100 e receber R$ 5. Isso é um dinheiro do povo do Estado”, completou.

Apesar de se mostrar contrário à securitização, o tucano afirmou que não se oporia à venda de um título do Estado, caso este alcance um valor razoável.

Salários

O presidente da , revelou que o atraso no repasse pode fazer com que 90% dos servidores municipais de Minas corram risco de ficar sem o salário e sem o abono de Natal deste ano.

Lacerda afirmou que após o primeiro turno, com a derrota de Fernando Pimentel, os atrasos ficaram ainda piores.

“Anteriormente ele estava retendo as verbas do Fundeb e da saúde. Agora, até o ICMS, que é um recurso que está entrando para o Estado, ele está retendo”, desabafou. Até o fechamento desta edição, a assessoria de Pimentel não comentou o assunto.

Ontem, em outro evento com os prefeitos, o presidente da  declarou apoio à candidatura de Anastasia. Entretanto, Julvan afirmou que a  não vai se posicionar a favor ou contra algum candidato ao governo de Minas.

Andreza Costa/Divulgação

Zema participou ontem de campanha no Triângulo Mineiro

Zema

Convidado para a sabatina na , o candidato ao governo de Minas pelo partido Novo, Romeu Zema, alegou atrasos na agenda que cumpriu pela manhã, em Uberlândia, no Triângulo Mineiro, e não compareceu ao evento.

Candidato do PSDB terá que retirar inserções

O Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG) determinou a suspensão da veiculação de três inserções de propaganda do candidato ao governo de Minas, Antonio Anastasia, no rádio, e a remoção de um site criado pelo tucano, que fazia críticas a propostas de Romeu Zema (Novo), adversário do tucano na disputa. O senador tem um prazo de 24 horas para cumprir a decisão, sob pena de multa diária de R$5 mil.

Segundo a juíza que apreciou a ação impetrada por Zema e que concedeu a liminar, houve violação do artigo 242 do Código Eleitoral, além do patente perigo de dano.

Segundo a assessoria do empresário, o site foi criado pelo adversário com a clara intenção de amedrontar os eleitores, considerando como medida desesperada, tendo em vista a possibilidade de perder as eleições.

Anastasia

Em nota, a assessoria de Anastasia afirmou que vai acatar a decisão da Justiça, mas que vai recorrer da liminar.

“É muito estranho que o candidato Zema use de todos os instrumentos para que a população mineira não conheça seu plano de Governo. Continuaremos, portanto, recomendando que toda a população acesse o site do TSE para que conheça as ideias e propostas que Zema tem sugerido para Minas Gerais, com a privatização generalizada dos serviços públicos, prejudicando aqueles que mais precisam da ação do Estado”, diz o texto enviado pela equipe do senador (L.B.).

Ver notícia completa