Home > Coronavírus > PNUMA divulga fichas técnicas para gerenciamento de resíduos durante a pandemia

PNUMA divulga fichas técnicas para gerenciamento de resíduos durante a pandemia

Nestes últimos meses, hospitais, instituições de saúde e indivíduos estão produzindo mais resíduos do que o habitual, incluindo máscaras, luvas, aventais e outros equipamentos de proteção que podem estar contaminados. O descarte e a gestão incorreta destes materiais é um risco para as pessoas e também para o meio ambiente. É neste cenário que o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) preparou nove fichas técnicas com informações que podem ajudar indivíduos, empresas e autoridades governamentais a gerenciar esses resíduos.

O material tem linguagem acessível e simples e está disponível conforme indicado abaixo:

  • Ficha 1 – Introdução à gestão de resíduos decorrentes da pandemia da Covid-19: Conselhos do PNUMA para mitigar os impactos adversos da pandemia no ambiente global, de como gerenciar com segurança o aumento de resíduos produzidos em resposta à crise, a como controlar a liberação de produtos químicos nocivos na atmosfera, terra e água.
  • Ficha 2 – Avaliação da capacidade nacional de gerenciamento de resíduos médicos: O gerenciamento ambientalmente correto de resíduos médicos é um dos principais desafios durante o tempo normal em muitos países. Durante emergências como a pandemia da Covid-19, esses desafios são ampliados porque a quantidade de resíduos produzidos aumenta. Esta ficha informativa ajudará a avaliar a quantidade de lixo infectado potencialmente produzido e as tecnologias disponíveis para tratar o lixo.
  • Ficha 3 – Como escolher sua tecnologia de gerenciamento de resíduos para tratar resíduos decorrentes da pandemia da Covid-19: À medida que os países desenvolvem um inventário das instalações nacionais existentes de gerenciamento de resíduos, eles selecionam opções ambientalmente saudáveis ​​para o tratamento de resíduos, usando a orientação da UNEP Sustainability Assessment of Technologies (SAT) sobre as melhores tecnologias disponíveis e as melhores práticas ambientais (BAT/BEP).
  • Ficha 4 – Política e legislação vinculada à Covid-19 e às pandemias: As orientações sobre políticas e legislação ajudarão os países a ter uma base legal e institucional estável para responder melhor a emergências futuras de resíduos, como a Covid-19, e a esclarecer as medidas a serem tomadas.
  • Ficha 5 – Relação com a circularidade – Resíduos não relacionados à saúde: A Covid-19 levará à maior produção e consumo de produtos relacionados à saúde doméstica e pessoal, que podem ser de uso único e conter recursos valiosos, como plásticos, têxteis, metais, eletrônicos. O resíduo Covid-19, e qualquer outro resíduo, deve ser coletado e tratado adequadamente para evitar incineração de lixo ou descontrolada, causando impactos à saúde humana, qualidade do ecossistema, biodiversidade, incluindo impactos no solo, rios, linhas costeiras e no sistema marinho.
  • Ficha 6 – Relações entre a qualidade do ar e a Covid-19: A qualidade do ar é impactada negativamente por práticas ambientalmente inadequadas, como queima aberta ou outros métodos de gerenciamento de resíduos abaixo do ideal. É essencial aderir a práticas ambientalmente saudáveis ​​para o gerenciamento de resíduos, especialmente a Covid-19, e manter altos padrões e aplicação ambiental.
  • Ficha 7 – Estratégias de gestão de resíduos médicos domésticos: À medida que a Covid-19 se espalha para o mundo em desenvolvimento, com acesso limitado ao suporte médico, um número maior de casos precisará se automedicar em casa. Portanto, o gerenciamento adequado de resíduos médicos domésticos se tornará essencial para impedir a disseminação do vírus da Covid-19 e evitar colocar pessoas em risco, incluindo os trabalhadores em tratamento de resíduos.
  • Ficha 8 – Desastre e conflito: Países afetados por desastres, conflitos e operações humanitárias sensíveis ​​com capacidade limitada, infraestrutura e recursos fracos provavelmente enfrentarão enormes problemas no caso de propagação da Covid-19 e a necessidade de soluções seguras, eficientes e apropriadas para o gerenciamento de resíduos contaminados sólidos e perigosos. Esta ficha descreve como gerenciar esse tipo de resíduo no contexto de acampamentos e ambientes semelhantes, bem como em assentamentos informais.
  • Ficha 9 – Covid-19, águas residuais e saneamento: O esgoto bruto e as águas residuais parcialmente tratadas são veículos para doenças e um meio potencial para a Covid-19 se espalhar mais rapidamente, por exemplo, em áreas em que o saneamento é precário ou as comunidades estão expostas a esgotos a céu aberto e água preta. A Covid-19 traz desafios adicionais com o aumento do uso de produtos médicos, máscaras e luvas de plástico, têxtil e outros produtos ​​descartados em ambiente aberto ou no sistema de drenagem existente, contribuindo para as quantidades já alarmantes de plásticos, poluição por microplásticos e microfibras nas águas residuais.

PNUMA

O PNUMA é a principal autoridade ambiental global que determina a agenda internacional sobre o meio ambiente, promove a implementação coerente da dimensão ambiental do desenvolvimento sustentável no Sistema das Nações Unidas e serve como autoridade defensora do meio ambiente no mundo.

De acordo com os organizadores das fichas: “com este material e conteúdo, buscamos somar aos esforços que já vêm sendo desenvolvidos tanto no momento atual como no pós-pandemia. Conscientes do compromisso que temos com gerações presentes e futuras e com o nosso planeta, é inevitável a reflexão sobre a interdependência humana na teia da vida e a necessidade impreterível de tomar ação e buscar conscientizar-se de eventuais danos irreparáveis. Temos muito que aprender com as realidades locais e esperamos que, de uma forma singela, consigamos contribuir para esse problema cada vez mais pronunciado do gerenciamento dos resíduos decorrentes da pandemia do coronavírus”.

Mais informações com o assessor do departamento de Meio Ambiente da AMM, Licínio Xavier, pelo telefone (31) 2125-2418. (Foto: Funed)