Home > Comunicação > Notícias > Pesquisadores apontam os diferentes graus de risco de contágio por covid-19

Pesquisadores apontam os diferentes graus de risco de contágio por covid-19

Um grupo de 14 médicos da força-tarefa de covid-19 e do Comitê de Doenças Infecciosas da Texas Medical Association (TMA), especialistas em saúde pública, epidemiologia e infectologia, elaborou uma tabela que aponta os diferentes graus de risco de contágio por covid-19 nas atividades cotidianas.

“É um gráfico feito para o Texas (Estados Unidos), mas pode ser usado em outros países. Temos que considerar as diferenças nas realidades de cada lugar, é claro, mas também há muitas coisas que são semelhantes”, disse à BBC News Brasil o médico John Carlo, especialista em saúde pública e membro da TMA, que participou da elaboração da tabela.

As atividades receberam notas de 1 (menos arriscada) a 10 (mais arriscada) de acordo com os seguintes critérios: se eram em área interna ou externa; a proximidade de outras pessoas; o tempo de exposição ao vírus; a probabilidade de manter as práticas de prevenção contra o vírus, como o uso da máscara, e o risco pessoal – ou seja, a possibilidade de que uma pessoa seja infectada enquanto desenvolve a atividade.

Para todas as atividades da lista, os pesquisadores assumiram que os participantes estariam usando máscaras, mantendo uma distância de pelo menos dois metros de pessoas que não são familiares e lavando as mãos sempre que possível.

O médico também ressalta que até o risco de um mesmo tipo de negócio pode variar de acordo com a realidade de cada local. “O melhor exemplo, para mim, é o item ‘ir ao salão de beleza ou à barbearia’. Aqui, temos salões em que você é o único cliente, tudo é bem limpo, e as duas pessoas podem usar máscaras. O risco aí é menor do que em um salão onde há muitas pessoas juntas. É preciso usar o bom senso sobre o cenário em que você vai praticar cada atividade. Nosso gráfico é um bom guia, mas as pessoas têm que analisar seus próprios casos.”

Fonte: BBC. Imagem de Couleur por Pixabay.

Mais informações com a assessora do departamento de Saúde da AMM, Juliana Marinho, pelo telefone (31) 2125-2433.