Home > ÁREAS TÉCNICAS > Cultura e Turismo > Parceria pretende aproximar espaços do Circuito Liberdade e empresas do Minas Recebe

Parceria pretende aproximar espaços do Circuito Liberdade e empresas do Minas Recebe

Ao conhecer melhor o Circuito como um todo e os espaços culturais individualmente, os receptivos do Minas Recebe poderão incluí-los em seus roteiros e comercializá-los

Aproximar os equipamentos culturais do Circuito Liberdade e as empresas de turismo receptivo integrantes do programa Minas Recebe, com o propósito de gerar negócios para a cadeia produtiva e aumentar o número de turistas no complexo cultural. Esse é o objetivo da nova parceria entre a Secretaria de Cultura e Turismo de Minas Gerais (Secult) e o Sebrae, para promoção de um Pitch que acontecerá na primeira quinzena de abril, no qual os equipamentos irão se apresentar para as empresas do Minas Recebe.

E para preparar esses equipamentos para o Pitch, haverá uma Oficina Virtual de Cocriação, nos dias 22 e 23 de março, com consultores do Sebrae, que vão explicar um pouco mais sobre a forma de apresentação que se espera dos equipamentos para as empresas do Minas Recebe, tendo como foco o entendimento do mercado e da cadeia produtiva envolvida.

De acordo com o secretário de Cultura e Turismo de Minas Gerais, Leônidas Oliveira, não é possível estabelecer políticas efetivas de turismo sem que o estado firme parcerias com outras instituições e com a iniciativa privada. “Ampliamos o Circuito Liberdade até os limites da Avenida do Contorno para que ele signifique, de maneira ainda mais representativa, a síntese da cultura mineira, incluindo outras potencialidades do nosso Estado, como a própria cozinha mineira, considerando, por exemplo, que o Mercado Central passa a integrar o Circuito. O link com o Minas Recebe é para que as empresas de receptivo turístico que atuam em Belo Horizonte possam construir, junto com a Secult, roteiros temáticos de visitação dos espaços do Circuito. Ao lado do Sebrae, vamos trabalhar um conhecimento mais profundo do território e trabalhar a efetiva promoção e comercialização dele como produto turístico, sempre pensando em girar a economia do nosso Estado, principalmente neste período de pensarmos a retomada pós-pandemia”, diz o secretário.

O analista do Sebrae, Renato Lana, reforça que “criar uma experiência turística requer entendimento do mercado, o que o cliente procura, como ele procura e que tipo de experiência ele busca. E é pensando nisto que o Sebrae realizará a Oficina de Cocriação e Pitch, visando o processo criativo entre os equipamentos do Circuito Liberdade e o mercado”.

Ao conhecer melhor o Circuito como um todo e os espaços culturais individualmente, os receptivos do Minas Recebe terão um melhor entendimento sobre o produto turístico, podendo de maneira mais efetiva incluí-los em seus roteiros e comercializá-los.

Mais informações com a assessora do departamento de Cultura e Turismo da AMM, Brenda Grandioso, pelo telefone (31) 2125-2437.