Home > ÁREAS TÉCNICAS > Cultura e Turismo > Observatório do Turismo de Minas Gerais faz sondagem para avaliar impactos da pandemia do Coronavírus

Observatório do Turismo de Minas Gerais faz sondagem para avaliar impactos da pandemia do Coronavírus

Pesquisa busca entender os efeitos da pandemia para construir ações mais rápidas e eficazes no Estado; trade turístico e setores da economia criativa são contemplados

A grave crise provocada pelo Covid-19 tem deixado um cenário de incertezas futuras. Vários setores já estão sentindo o impacto das medidas de distanciamento social determinadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pelos governos. No Turismo, a situação não é diferente, já que a circulação de pessoas é um dos pilares da atividade.

Foi pensando nisso que a Secretaria de Estado de Cultura e Turismo (Secult), a Empresa Municipal de Turismo de Belo Horizonte (Belotur) e a Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM), por meio do Observatório do Turismo de Minas Gerais (OTMG), elaboraram uma pesquisa de sondagem para avaliar os impactos da pandemia nos diversos setores do turismo e da economia criativa. A ação, que é coordenada em articulação com a Rede Brasileira de Observatórios de Turismo, é destinada a diferentes profissionais e empresas da área, e contempla uma série de atividades que já se encontram paralisadas diante do cenário atual.

A proposta é desenhar um diagnóstico inicial da situação enfrentada pelo trade turístico, traçando um prognóstico previsível para o setor, a partir do impacto gerado pelas medidas de distanciamento. A sondagem, que pode ser acessada até 20 de abril, contempla questões referentes a fluxo, faturamento e emprego nas empresas. Foram convidados a responder as perguntas os empreendimentos como agências e operadoras, bares e lanchonetes, e aqueles ligados a eventos, hospedagem, consultoria, restaurantes, atrativos, parques, transportadoras, entre outros.

Percepções

Para a superintendente de Políticas do Turismo da Secult, Flávia Ribeiro, essa sondagem tem o potencial de dar voz aos empresários e empreendedores, uma vez que as perguntas elaboradas foram pensadas para avaliar a percepção de quem está na ponta e já precisou tomar medidas urgentes para continuar suas atividades.

A pesquisa do OTMG, que foi elaborada a partir de uma sondagem aplicada em São Paulo e compartilhada com a Rede Brasileira de Observatórios do Turismo, tem abrangência nacional e está sendo feita de forma articulada.

O questionário direcionado ao trade turístico, incluindo Gastronomia, reúne 21 questões a respeito da área de atuação da empresa ou profissional, o porte da empresa e a como a pandemia afetou o fluxo de caixa, considerando o balanço financeiro e as projeções de faturamento até maio. O documento também avalia se houve alterações no preço do serviço ou produto ofertado, demissões e expectativa dos profissionais para o período pós-pandemia. Ele pode ser acessado neste link (clique aqui).

Impactos locais

Em uma ação mais regionalizada, a mesma sondagem também vai avaliar os impactos do isolamento social em setores da Economia Criativa em Minas Gerais. A partir da compilação dos dados, a pesquisa pretende interpretar as perspectivas de continuidade dos negócios com base na percepção dos empreendedores. O questionário está disponível neste link (clique aqui).

O público deve responder a 25 perguntas que, além de abordarem aspectos da situação fiscal, avaliam a relação de empreendedores com parceiros, prestadores de serviços e outros.

De acordo com o Observatório do Turismo de Minas Gerais (OTMG), os resultados da pesquisa dependem, em grande medida, da adesão dos públicos. Após a compilação das respostas recebidas, serão elaborados relatórios com comparativos entre estados e para os diversos setores do Turismo e da Economia Criativa e da Gastronomia. Dessa forma, a expectativa do OTMG é que seja possível entender o atual cenário, possibilitando o desenvolvimento de políticas públicas mais adequadas. A partir de então, será elaborada uma segunda rodada de sondagem para compreender a evolução da percepção do trade a respeito das ações que serão desenvolvidas.

Mais informações com a assessora do departamento de Cultura e Turismo da AMM, Brenda Grandioso, pelo telefone (31) 2125-2437.

Fonte: Secult. Foto: CCBB/Divulgação.