Home > AMM na imprensa > O Tempo – Pagamento dos servidores da prefeitura de Uberaba será parcelado

O Tempo – Pagamento dos servidores da prefeitura de Uberaba será parcelado

Segundo o executivo, o problema se deve a falta de repasses de recursos obrigatórios do Governo do Estado.

A crise econômica que levou ao escalonamento de pagamentos dos servidores chegou ao interior. Por meio de nota, Prefeitura de Uberaba, no Triângulo Mineiro, informou, nesta quarta-feira (03) que vai parcelar o pagamento dos servidores.

“Os 6.500 servidores com salários até R$ 3 mil receberão no quinto dia útil, ou seja, na sexta-feira (5). O restante aguardará a chegada de recursos previstos para a próxima semana”, informou a prefeitura por nota.

Segundo o executivo, o problema se deve a falta de repasses de recursos obrigatórios do Governo do Estado.

“Vale ressaltar que na semana passada, não houve repasses do Estado relativo ao Fundeb, ICMS e IPVA. Esta semana, o valor repassado foi muito inferior ao necessário para o pagamento, visto que o impacto na folha está sendo causado, principalmente, pela falta de repasse do Fundeb”, ressalta a nota.

Ainda segundo a prefeitura a dívida do Estado com o município, de acordo com levantamento da Associação Mineira dos Municípios (AMM) é de R$ 85 milhões. “Somente com o Fundeb a dívida do Governo de Minas com Uberaba é de R$ 22 milhões, o que impacta diretamente no pagamento”, concluiu.

Outro Lado

Procurada, a Secretaria Estadual da Fazenda respondeu:

Como é de conhecimento público, Minas Gerais enfrenta uma crise financeira sem precedentes. Em busca de solução, o governo estadual não tem medido esforços para regularizar os débitos com os municípios.

Uma das principais medidas, a securitização da dívida, teve mais um avanço nesta quarta-feira (3/10) com a publicação (no Diário Oficial) de uma Portaria da Secretaria de Estado de Fazenda que dá início ao processo.

Portanto, conforme já acertado com representantes dos municípios, os valores devidos serão repassados às prefeituras tão logo o governo receba os recursos oriundos da securitização de parte da divida ativa do Estado.

Ver notícia completa