Home > Comunicação > Notícias > Municípios recebem 725.400 doses da vacina Pfizer

Municípios recebem 725.400 doses da vacina Pfizer

O Governo de Minas Gerais, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (SES), informa que, nesta quarta-feira, 3/11, Minas Gerais recebeu 725.400 doses da vacina Pfizer. Esta remessa faz parte do 64º lote de vacinas contra a covid-19 enviado pelo Ministério da Saúde (MS) para o estado de Minas Gerais. Os imunizantes serão destinados para aplicação de dose de reforço para idosos e D1 para adolescentes de 12 a 17 anos.

Já as 279 mil doses da 63ª remessa são destinadas à imunização de reforço em 4,4% de pessoas de 60 anos e mais e em 13% de trabalhadores da saúde. As 724.350 unidades da 64ª remessa serão aplicadas como reforço em 12,7% de pessoas de 60 anos e mais e como primeira dose (D1) em 16,6% de adolescentes.

Desde a quinta-feira (4/11), as Unidades Regionais de Saúde estão buscando as vacinas de acordo com as demandas identificadas junto aos municípios. Parte dessas doses permanecerá retida na Central Estadual da Rede de Frio, para segurança dos imunobiológicos, até que seja o período da sua aplicação.

  • Clique aqui e confira o quantitativo destinado a cada município do 63º lote
  • Clique aqui e confira o quantitativo destinado a cada município do 64º lote

Até 5/11, o percentual de cobertura vacinal contra covid-19 com a primeira dose já ultrapassou 88,4% da população acima de 12 anos, e a segunda dose alcança 65,9% desse público. Minas vacinou com a dose de reforço 1.006.254 pessoas.

Quantitativo

Acesse vacinaminas.mg.gov.br/ e acompanhe o quantitativo de doses recebidas pelo Estado a cada remessa e as principais informações sobre a vacinação contra a covid-19 em Minas Gerais.

Saiba mais sobre as tecnologias utilizadas na produção das vacinas:  

CoronaVac: É desenvolvida com vírus inativado, que são expostos a calor e produtos químicos para não se reproduzir. Dessa maneira, não deve deixar as pessoas doentes, mas sendo capazes de criar uma resposta imunológica contra o vírus.  

Oxford/AstraZeneca: É desenvolvida com vetor viral não replicante, com adenovírus modificado geneticamente, que carrega instruções para a produção da proteína especula do novo coronavírus. Ao entrar na célula, faz com que o organismo produza resposta imunológica contra o vírus.  

Pfizer/BioNtech: É desenvolvida com tecnologia de RNA mensageiro, que transporta informações genéticas ao organismo para que seja produzida uma proteína do vírus que ative o sistema imunológico para gerar resposta de anticorpos contra o coronavírus.  

Janssen/Johnson & Johnson: Conhecido tecnicamente como Ad26.COV2.S, utiliza a tecnologia de vetor viral, um vírus enfraquecido que transporta os genes virais para dentro das células, estimulando a resposta imunológica. A mesma metodologia, considerada de 3ª geração, é utilizada nos imunizantes Oxford/AstraZeneca e Sputnik V.  

Fonte: Uol e CNN. 

Leia também: Covid-19: novas orientações aos gestores da saúde

Mais informações com a assessoria do departamento de Saúde da AMM pelo telefone (31) 2125-2433.

E no portal: https://coronavirus.saude.mg.gov.br/vacinometro