Home > Comunicação > Notícias > Municípios devem preparar campanha para vacinar adolescentes contra o HPV

Municípios devem preparar campanha para vacinar adolescentes contra o HPV

Os gestores da área de saúde, pais e educadores devem ficar atentos à meta de vacinação dos adolescentes contra o HPV. A proteção é completa quando aplicada as duas doses da vacina. No Brasil, mais de 20 milhões de pessoas devem buscar os postos de saúde para receber a vacina. A convocação é do Ministério da Saúde, que lançou nesta terça-feira (4/9) uma Campanha Publicitária de Mobilização e Comunicação para a Vacinação do Adolescente contra a doença.

A expectativa é de vacinar 9,7 milhões de meninas de 9 a 14 anos e 10,8 milhões de meninos de 11 a 14 anos. Para garantir a vacinação deste público, o Ministério da Saúde investiu R$ 567 milhões na aquisição de 14 milhões de vacinas. A vacina HPV é eficaz e protege contra vários tipos de cânceres em mulheres e homens.

Desde a incorporação no Calendário Nacional de Vacinação, quatro milhões de meninas de 9 a 14 anos procuraram as unidades do Sistema Único de Saúde (SUS) para completar o esquema com a segunda dose, totalizando 41,8% das crianças a serem vacinadas. Com a primeira dose, foram imunizadas quatro milhões de meninas nesta mesma faixa, o que corresponde a 63,4%.

Entre os meninos, que foram incluídos na vacinação contra HPV no ano passado, 2,6 milhões foram vacinados com a primeira dose, o que representa 35,7% do público-alvo. Em relação à segunda dose, foram aplicadas 911 mil vacinas em meninos de 11 a 14 anos, completando, desta forma, o esquema de vacinação.

Doença

Segundo estudo do projeto POP-Brasil, feito em 2017, a prevalência estimada do HPV no Brasil é de 54,3%. Foram entrevistadas 7.586 pessoas nas capitais do País. Os dados da pesquisa mostram que 37,6% dos participantes apresentaram HPV de alto risco para o desenvolvimento de câncer.

O estudo indica ainda que 16,1% dos jovens têm alguma Infecção Sexualmente Transmissível (IST) prévia ou apresentaram resultado positivo no teste rápido para HIV ou sífilis. Os dados finais deste projeto serão disponibilizados no relatório a ser apresentado ao Ministério da Saúde até o final do ano.

A vacina HPV previne vários tipos de cânceres contribuindo com a redução da incidência de cânceres nas mulheres e homens. No mundo, dos 2,2 milhões de tumores provocados por vírus e outros agentes infecciosos, 640 mil são causados pelo HPV. A vacina utilizada no País previne 70% cânceres do colo útero, 90% câncer anal, 63% do câncer de pênis, 70% dos cânceres de vagina, 72% dos cânceres de orofaringe e 90% das verrugas genitais. Além disso, as vacinas HPV protegem contra o pré-câncer cervical em mulheres de 15 a 26 anos, associadas ao HPV16/18.  As vacinas são seguras e não aumentam o risco de eventos adversos graves, aborto ou interrupção da gravidez.

Mais informações na página especializada sobre vacinação no portal do Ministério da Saúde (aqui) e com a assessora do departamento de Saúde da AMM, Juliana Marinho, pelo telefone (31) 2125-2433.

Fonte: Agência Saúde.

Publicado em 6 de setembro de 2018.