Home > Coronavírus > Minas Gerais tem 52,19% de cobertura da primeira dose da vacina de covid-19 do público-alvo da primeira fase

Minas Gerais tem 52,19% de cobertura da primeira dose da vacina de covid-19 do público-alvo da primeira fase

Receberam a primeira dose da vacina 100% das pessoas com deficiência institucionalizadas, 82% da população indígena, 54,11% dos idosos institucionalizados e 52,27% dos profissionais de saúde

Em um mês de Campanha de Vacinação contra a Covid-19,  Minas Gerais já aplicou 379.220 vacinas da primeira dose (D1)  e 102.909 da segunda (D2). Isso representa 52,19% de cobertura da primeira dose aos profissionais de saúde, idosos em instituições de longa permanência, pessoas com deficiência maiores de 18 anos que estejam institucionalizadas e população indígena. Já para a segunda dose, o índice atingiu 14,36% deste público prioritário definido pelo Programa Nacional de Imunização. De acordo com os dados da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), a cada óbito por covid-19, outras 172 pessoas estão sendo vacinadas.

A partir de critérios epidemiológicos preconizados pelo Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19, a SES-MG busca uma cobertura vacinal de 90% em cada grupo, suficiente para interromper o aumento da ocupação dos leitos covid-19 devido ao agravamento da doença.

O grupo com a cobertura mais alta da primeira dose, até o dia 15/2, foi das pessoas com deficiência com mais de 18 anos institucionalizadas, com 100% das doses aplicadas, seguido da  população indígena, com 82,11%. Já para os profissionais de saúde, a cobertura é de 52,27%. A menor cobertura foi dos idosos acima de 60 anos que vivem em instituições de longa permanência, com  54,11% de vacinados.

Doses disponíveis 

A SES-MG recebeu do Ministério da Saúde todas as doses necessárias para a vacinação dos idosos com mais de 90 anos, população índigena aldeada, idosos acima de 60 anos que vivem em instituições e pessoas com deficiência com mais de 18 anos institucionalizadas. Já para os trabalhadores em saúde, foram enviadas doses para atender, inicialmente, 73% dos profissionais.

Planejamento

No planejamento de distribuição da Secretaria e na definição dos grupos a serem vacinados, é preciso levar em conta que a segunda dose precisa ser do mesmo laboratório que da primeira e o intervalo entre elas deve seguir as recomendações de cada fabricante.

Para os grupos recomendados, a SES-MG tem doses suficientes, inclusive para garantir a segunda dose da CoronaVac no prazo adequado para que não seja colocado em risco a eficácia da vacina. Para a imunização completa, é necessária a aplicação das duas doses. Quem recebeu a vacina não está completamente imunizado, não é um processo imediato. O organismo precisa fazer todo o processo de imunogenicidade, que é a capacidade da vacina de provocar uma resposta imune, o desenvolvimento de anticorpos, ativando o sistema de defesa contra o vírus.

No caso da AstraZeneca, é preciso intervalo de três meses para aplicação após a primeira dose. A CoronaVac, por sua vez, exige tempo de 15 dias.Os números de mineiros imunizados e doses aplicadas podem ser acompanhados pelo site Vacinômetro. Saiba mais em: www.coronavirus.saude.mg.gov.br/vacinometro.

Fonte: Agência Minas. Foto: Pedro Gontijo/Imprensa MG.

Leia, também: Presidente da AMM diz que municípios estão preparados para vacinar a população mineira

Mais informações com a assessora do departamento de Saúde da AMM, Juliana Marinho, pelo telefone (31) 2125-2433.