Home > Comunicação > Notícias > Minas Gerais recebe 112 mil doses de Pfizer para completar o esquema de vacinação

Minas Gerais recebe 112 mil doses de Pfizer para completar o esquema de vacinação

 A 66ª pauta de distribuição será disponibilizada como dose de reforço para 3,2% de pessoas com 60 anos ou mais de idade e a 65ª remessa para 16% de pessoas de 35 a 39 anos

O Governo de Minas Gerais, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), informa que, na manhã desta terça-feira, 9/11, chegaram a Minas Gerais mais 112.320 doses da vacina produzida pela Pfizer. Esta remessa faz parte do 66º lote de vacinas contra a covid-19 e será integralmente destinada para dose de reforço em idosos. Os imunizantes já foram transportados para a Central Estadual da Rede de Frio, e serão distribuídos para as Unidades Regionais de Saúde (URS) a partir desta quarta-feira, 10/11. A 66ª pauta de distribuição será disponibilizada como dose de reforço para 3,2% de pessoas com 60 anos ou mais de idade.

65º lote
A SES informa ainda que já iniciou o processo de distribuição para as URS das 432.840 doses da Pfizer recebidas na segunda-feira, 8/11, referentes à 65ª remessa. Esta remessa é destinada para completar o esquema de vacinação (D2) para 16% de pessoas de 35 a 39 anos, referente à 48ª da pauta de distribuição, e 16,7% de pessoas de 35 a 39 anos, referente à 49ª da pauta de distribuição, além da dose de reforço para 2,5% de pessoas de 60 anos e mais e 8,9% de trabalhadores da saúde que tenham 6 meses após aplicação da D2.

Clique aqui e confira o quantitativo destinado a cada município do lote 65.

As Unidades Regionais de Saúde estão buscando as vacinas contra a covid-19 do laboratório da Pfizer na Central Estadual da Rede de Frio, de acordo com as demandas identificadas junto aos municípios.

Quantitativo

Acesse vacinaminas.mg.gov.br/ e acompanhe o quantitativo de doses recebidas pelo Estado a cada remessa e as principais informações sobre a vacinação contra a covid-19 em Minas Gerais.

Saiba mais sobre as tecnologias utilizadas na produção das vacinas:  

CoronaVac: É desenvolvida com vírus inativado, que são expostos a calor e produtos químicos para não se reproduzir. Dessa maneira, não deve deixar as pessoas doentes, mas sendo capazes de criar uma resposta imunológica contra o vírus.  

Oxford/AstraZeneca: É desenvolvida com vetor viral não replicante, com adenovírus modificado geneticamente, que carrega instruções para a produção da proteína especula do novo coronavírus. Ao entrar na célula, faz com que o organismo produza resposta imunológica contra o vírus.  

Pfizer/BioNtech: É desenvolvida com tecnologia de RNA mensageiro, que transporta informações genéticas ao organismo para que seja produzida uma proteína do vírus que ative o sistema imunológico para gerar resposta de anticorpos contra o coronavírus.  

Janssen/Johnson & Johnson: Conhecido tecnicamente como Ad26.COV2.S, utiliza a tecnologia de vetor viral, um vírus enfraquecido que transporta os genes virais para dentro das células, estimulando a resposta imunológica. A mesma metodologia, considerada de 3ª geração, é utilizada nos imunizantes Oxford/AstraZeneca e Sputnik V.  

Fonte: Uol e CNN. 

Leia também: Covid-19: novas orientações aos gestores da saúde

Mais informações com a assessoria do departamento de Saúde da AMM pelo telefone (31) 2125-2433.

E no portal: https://coronavirus.saude.mg.gov.br/vacinometro

Foto: site oficial Pfizer