Home > Comunicação > Notícias > Minas Consciente: quatro macrorregiões mineiras passam a integrar a onda roxa

Minas Consciente: quatro macrorregiões mineiras passam a integrar a onda roxa

Norte e Triângulo do Sul passam a adotar as medidas restritivas juntamente com Noroeste e Triângulo do Norte

As macrorregiões de Saúde Norte e Triângulo do Sul vão adotar, a partir deste domingo (7/3), as medidas restritivas da onda roxa do plano Minas Consciente, como toque de recolher das 20h às 5h e aos finais de semana.

A decisão foi tomada neste sábado (6/3), após reunião com mais de 150 representantes dos 113 municípios que integram as duas localidades. O objetivo é conter drasticamente a transmissão da covid-19 para restabelecer a capacidade assistencial nas cidades e preservar a rede hospitalar de todo o estado.

Na quarta-feira (3/3), as macrorregiões de Saúde Noroeste e Triângulo do Norte também foram para a faixa mais restritiva do plano, por determinação do Comitê Extraordinário Covid-19, grupo que se reúne semanalmente para avaliar os indicadores da doença. Além disso, a microrregião de Ponte Nova, que possui 21 municípios, pediu ao Estado para ser incluída na categoria. Assim, Minas tem atualmente 194 cidades na onda roxa, englobando aproximadamente 4,6 milhões de mineiros.

Serviços Essenciais 

Nessa fase – que, em princípio, tem duração de 15 dias – só será permitido o funcionamento de serviços essenciais e a circulação de pessoas fica limitada aos funcionários e usuários desses estabelecimentos. O deslocamento para qualquer outra razão deverá ser justificado e a fiscalização será feita com o apoio da Polícia Militar.

São considerados serviços essenciais:

  • Setor de alimentos (excluídos bares e restaurantes, que só podem via entrega em domicílio);
  • Serviços de Saúde (atendimento, indústrias, veterinárias etc.);
  • Bancos;
  • Transporte Público (deslocamento para atividades essenciais);
  • Energia, Gás, Petróleo, Combustíveis e derivados;
  • Manutenção de equipamentos e veículos;
  • Construção civil;
  • Indústrias (apenas da cadeia de atividades essenciais);
  • Lavanderias;
  • Serviços de TI, dados, imprensa e comunicação;
  • Serviços de interesse público (água, esgoto, funerário, correios etc.).

Mais informações com a assessora do departamento de Saúde da AMM, Juliana Marinho, pelo telefone (31) 2125-2433.