Home > Comunicação > Notícias > Minas amplia vacinação da quarta dose para idosos acima de 60 anos

Minas amplia vacinação da quarta dose para idosos acima de 60 anos

A quarta dose da vacina contra covid-19 será disponibilizada para pessoas com idade entre 60 e 69 anos em Minas Gerais, já a partir da próxima semana. A decisão foi anunciada durante entrevista coletiva realizada na manhã desta sexta-feira, 29/4, pelo secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), o médico Fábio Baccheretti.

Essa nova administração do imunizante poderá ser aplicada em quem já tomou a primeira dose de reforço há pelo menos 4 meses. Cerca de 1 milhão de mineiros estão nesse estágio de vacinação. A decisão deve ser publicada neste sábado, 30/4, e a partir daí cada prefeitura já pode administrar as vacinas.

“Entramos no inverno com a possibilidade de estarmos com o grupo mais vulnerável, os idosos, com essa proteção a mais, já que os imunocomprometidos já tomaram a quarta dose”, afirmou Fábio Baccheretti.

Na coletiva, o secretário lembrou ainda da necessidade de que os pais levem as crianças para receberem a segunda dose da vacina contra covid-19, completando o esquema vacinal primário. Atualmente, quase 70% das crianças de 5 a 11 anos já tomaram a primeira dose em Minas Gerais, e 32% completaram o esquema vacinal. Há cerca de 500 mil crianças elegíveis para receberem a segunda dose no estado. “É importante essa segunda dose para garantir a proteção para as crianças. Nenhuma teve efeito grave relacionado à vacina, mas infelizmente perdemos crianças para a doença”, assegurou Baccheretti.

Desobrigação do uso de máscaras

A alta cobertura vacinal é a principal razão pela qual o vírus está circulando cada vez menos e o estado pode recomendar a desobrigação do uso de máscaras em ambientes fechados a partir de domingo, 1/5. “O número de casos dos últimos sete dias continua muito baixo, estamos com a doença controlada hoje em Minas Gerais. Há um mês esse índice era de 72 a cada 100 mil pessoas, e hoje é de 15 por 100 mil habitantes”, apontou Fábio Baccheretti.

Outro indicador da baixa circulação do vírus é que 816 municípios mineiros (95,6%) não registraram óbitos por covid-19 nos últimos sete dias. Nos últimos 15 dias, não houve mortes pela doença em 781 e, nos últimos 30 dias, em 678 cidades de Minas.

Além disso, a ausência de pressão de internação de pacientes internados nos leitos de CTI e a baixa taxa de positividade dos testes RT-PCR da rede pública permitem ao estado subsidiar as decisões das prefeituras para desobrigarem o uso dos protetores faciais. “Hoje, a chance de alguém com sintomas de gripe ao seu lado estar com covid-19 é a menor entre os vírus respiratórios”, analisou o secretário. “A partir de 1º de maio, é seguro que os municípios tomem essa decisão, uma vez que o vírus está circulando muito pouco” disse Baccheretti, que fez ainda uma ponderação sobre a decisão: “Quem quiser usar a máscara, quem fez quimioterapia, tem um idoso em casa, ou mesmo quem não se sente seguro para tirar a máscara do rosto, fique à vontade para continuar usando”.

Dia D

O secretário também destacou o Dia D da vacinação contra sarampo e gripe, que será realizado em Minas Gerais neste sábado, 30/4, e alertou para os cuidados necessários, em função de as metas de imunização para essas doenças não estarem sendo atingidas, e os riscos que isso acarreta. “Vacina não é só de covid-19, erradicamos o sarampo com vacinas e não podemos deixar essa doença voltar. É importante os pais entenderem que não é porque paramos de ouvir sobre a doença, o que ocorreu justamente graças à vacinação, que podemos nos descuidar. É uma doença que tem uma capacidade de circulação muito fácil”, pontuou Baccheretti.

Fonte: SES-MG

Foto: Fábio Marchetto