Home > ÁREAS TÉCNICAS > Captação de Recursos > Editais com seleção aberta > Lançado edital de chamamento público para projetos de implantação, ampliação ou revitalização de parques urbanos

Lançado edital de chamamento público para projetos de implantação, ampliação ou revitalização de parques urbanos

Os gestores têm até o dia 7 de outubro para enviarem propostas voluntárias ao programa (4400020210131) – chamamento público para projetos de implantação, ampliação ou revitalização de parques urbanos. O intuito é fomentar a implementação do Programa Cidades+Verdes e estimular o uso do Cadastro Ambiental Urbano-CAU, ambos instituídos pela Portaria MMA nº 504, de 21 de Setembro de 2020.

O Programa tem como objetivo, também, a seleção de projetos demonstrativos de parques urbanos em municípios brasileiros. Cada projeto proposto deve considerar a implantação, a ampliação ou a revitalização de apenas um parque urbano.

Para os fins do disposto neste chamamento público, entende-se por Parque Urbano:

Espaço público de múltiplas finalidades, dentro de área urbana ou periurbana, com predominância de atributos naturais e cobertura vegetal, destinado à proteção e ao uso sustentável de serviços ecossistêmicos, socialização, lazer ativo e contemplativo, prática de esportes e atividades econômicas, recreativas e culturais da população e que pode ser utilizado para educação ambiental e pesquisa.

A implantação, ampliação ou revitalização dos parques deverá prever melhorias das condições ambientais (exemplos: plantio de mudas nativas, ornamentais e grama); espaços para esporte e lazer (contratação de serviços de calçamento asfáltico para pistas de pedestre e ciclismo, calçadas); infraestrutura (sinalização, lixeiras, outros itens de mobiliário urbano) e segurança (contratação de serviços de cercamento, iluminação).

Espera-se como resultado do chamamento a implantação de projetos demonstrativos de parques urbanos, em conformidade com critérios do Cadastro Ambiental Urbano (CAU) e do Programa Cidades +Verdes, que promovam a melhoria da qualidade de vida nas cidades e às mudanças climáticas, seja por mitigação dos impactos de eventos climáticos extremos; melhoria da qualidade do ar; segurança hídrica; ou por contribuírem para a redução de uma série de doenças (cardíacas, pulmonares, psicológicas e relacionadas à poluição e à degradação ambiental).

Os projetos apresentados deverão ter valor mínimo de R$ 250.000,00 e máximo de R$ 1.234.762,80. Nesses valores, não estão consideradas as contrapartidas e só poderão ser despesas correntes (custeio). O projeto deve prever a execução de suas atividades até o prazo máximo de 12 meses.

O recurso disponibilizado por este chamamento público (valor de repasse) é exclusivo para despesas de custeio. Não serão financiáveis despesas de investimento (capital) com recursos advindos do projeto. A aquisição de itens desta natureza poderá ser considerada no valor de contrapartida. Não serão financiáveis as despesas referentes à realização de obras e/ou serviços de engenharia, nem com recurso de contrapartida. Caso haja este tipo de necessidade para complementação do projeto, o município deverá arcar com seus custos, sem sua previsão no Termo de Convênio.

Para fins de seleção de projetos, será anexado a este Programa um Edital de chamamento público com todos os detalhes das fases de habilitação, Priorização e desempate, que aqui estão resumidos:

  • submissão de proposta de projeto, alinhada ao objeto do edital: implantação, ampliação ou revitalização de parque urbano;
  • comprovação documental da regularidade administrativa, fiscal e financeira do proponente, conforme disposto no art. 22 da Portaria Interministerial 424/2016;
  • comprovação de titularidade dominial da área de intervenção, e de que a área se encontra livre e desembaraçada para a implementação do projeto, conforme disposto no art. 22 da Portaria Interministerial 424/2016;
  • comprovação de destinação legal da área do parque urbano, por ato específico. Caso não exista, o proponente pode apresentar declaração da regularização da destinação, conforme modelo do edital;
  • licença e aprovação do projeto, emitida pelo órgão ambiental competente ou declaração de dispensa de licença ambiental;
  • declaração de que o projeto proposto está de acordo com as normas ambientais vigentes no estado e município;
  • declaração de cadastro das áreas verdes urbanas no Cadastro Ambiental Urbano (CAU), conforme disposto no art. 8º da Portaria MMA nº 504, de 21/09/2020, que institui o Programa Cidades+Verdes e o CAU, conforme anexo do edital;
  • declaração de capacidade técnica necessária ao regular acompanhamento da aplicação dos recursos transferidos e manutenção do projeto, conforme anexo do edital;
  • cópia dos documentos de identificação (Registro Geral e CPF) do responsável legal pela administração pública municipal e dos respectivos documentos que comprovem sua legitimidade para representação do ente municipal;
  • apresentação de Plano de Trabalho conforme prevê Portaria nº 424, art. 1º, XXIV, para implantação, ampliação ou revitalização de um parque urbano;
  • apresentação de “Projeto Executivo” no modelo disponibilizado no edital;
  • apresentação de espelho do formulário on-line preenchido, acessível no link (https: //docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLScnuflSU5oZaBNLAqYNQxphRAo0dE5Aqj8BVFea1q8WQz84Tg/viewform), com informações acerca da documentação de habilitação e classificação do projeto.

Critérios de Priorização

Para fins de priorização de projetos, o proponente deverá preencher o formulário on-line, item XII da fase de habilitação, com a autodeclaração sobre características (atributos) do projeto de implantação, ampliação ou revitalização de parque urbano.

O formulário contém 41 perguntas que devem ser respondidas selecionando “sim” ou “não”, para fins de pontuação e classificação do projeto. Será atribuída a pontuação zero às perguntas classificatórias não respondidas ou respondidas com não. Os itens respondidos com “sim” receberão pontuação e deverão, obrigatoriamente, estar expressamente descritos e detalhados no Projeto Executivo (item XI da fase de habilitação), caso contrário, a pontuação do item será desconsiderada.

As perguntas compreendem atributos simples e atributos desejáveis. Será atribuído maior peso aos atributos desejáveis de “Condição Ambiental” e “Esporte e Lazer” do parque urbano. São considerados atributos desejáveis do parque urbano a ser implantado, ampliado ou revitalizado:

  • Mais de 50% da área total do parque ocupada por vegetação em bom estado de conservação;
  • 20% ou mais da área total do parque composta por espécies nativas;
  • Presença de trilhas esportivas ou de visitação;
  • Equipamentos de ginástica;
  • Parque infantil na área do projeto.

Serão considerados para efeito de pontuação tanto os atributos que tiverem sua implantação prevista no projeto quanto os já existentes na área a ser beneficiada pelo projeto. As propostas serão classificadas, em ordem decrescente de pontuação, de acordo com os seguintes pesos para cada tipo de atributo, podendo alcançar a pontuação máxima de 1.000 pontos: Serão selecionadas como Projetos demonstrativos de Parques Urbanos as propostas habilitadas que obtiverem a maior pontuação na fase classificatória, respeitado o montante de recursos disponibilizados para este Edital.

Critérios de desempate

Caso haja empate na pontuação, serão avaliados os Projetos Executivos de cada proposta empatada, conforme critérios estabelecidos neste Edital.

Caso a condição de empate permaneça, será priorizado o projeto do município com maior população segundo a Portaria nº PR-268, de 26 de agosto de 2021, do IBGE.

Ainda persistindo o empate, será priorizada a proposta submetida com maior antecedência.

Preencha o formulário aqui.

Mais informações pelo e-mail: dgat@mma.gov.br ou telefone (61) 2028 2073 e com o assessor do departamento de Captação de Recursos da AMM, Ramon Diniz, pelo telefone (31) 3916-9191.

Foto: Parque do Sabiá, em Uberlândia