Home > Comunicação > Notícias > Estudo da CNM revela que prejuízos causados pelas chuvas no Brasil ultrapassam R$ 55,5 bilhões entre 2017 e 2022 

Estudo da CNM revela que prejuízos causados pelas chuvas no Brasil ultrapassam R$ 55,5 bilhões entre 2017 e 2022 

Minas Gerais é o estado mais afetado, contabilizando prejuízo de R$ 10,3 bilhões aos municípios mineiros, somente com as chuvas deste ano

As chuvas nos últimos meses causaram uma série de prejuízos aos municípios brasileiros, sendo o segundo período sazonal chuvoso com maiores impactos desde o ano de 2017. A informação é do estudo da Confederação Nacional de Municípios (CNM), que contabilizou, entre 1º outubro de 2017 e 17 de janeiro de 2022, os prejuízos econômicos aos municípios afetados de aproximadamente R$ 55,5 bilhões.

De acordo com o Sistema Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sinpdec), o período sazonal das chuvas se inicia a partir do primeiro dia de outubro e termina no final de março do ano seguinte. Do total dos R$ 55,5 bilhões, o período chuvoso de 2020/2021 foi o mais afetado, com R$ 18,9 bilhões em prejuízos, seguido do período 2021/2022, com mais de R$ 17,2 bilhões, e, em terceiro, o período 2018/2019, com R$ 8,2 bilhões.

O levantamento da entidade municipalista contabilizou ainda, nos períodos chuvosos entre 2017 a 2022, que os desastres decorrentes do excesso de chuvas levaram os municípios a 5.622 decretações de Situação de Emergência em todo Brasil. Diante do exposto, a Entidade chama atenção, que antes do fim do período chuvoso de outubro de 2021 a 17 de janeiro de 2022, o número de declarações foi de 1.302, ultrapassando o recorde de 2017/2018, com 1.155 decretações.

De acordo com o estudo da CNM, o período chuvoso de 2019/2020 foi o que mais apresentou número de casas danificadas e ou destruídas, somando 143.602, seguido pelo período 2020/2021 com 130.884 casas danificadas e ou destruídas. As chuvas dos últimos seis anos, afetaram mais de 28,8 milhões de pessoas.

Em seis anos, foram contabilizados que 637 pessoas perderam suas vidas por causa dos desastres decorrentes das chuvas. O período sazonal das chuvas de 2018/2019 registrou 327 óbitos, 171,7 mil pessoas ficaram desabrigadas e 819,8 mil ficaram desalojadas. O período foi o mais problemático da história e deixou mais de 14,8 milhões de pessoas afetadas pelas chuvas. A CNM ressalta que foi neste período que ocorreu o desastre de uma barragem no município de Brumadinho (MG), que ocasionou a morte de 264 pessoas, sendo que, até hoje, ainda há seis desaparecidas.

O presidente da CNM, Paulo Ziulkoski, destaca que, além das mortes, os impactos são imensuráveis quando se leva em consideração os recursos necessários para a reconstrução do município.

Bahia e Minas Gerais

As chuvas neste início de ano já contabilizam, de acordo com dados divulgados pelos estados de Minas Gerais e Bahia, prejuízo de R$ 10,3 bilhões aos municípios mineiros e de R$ 2,1 bilhões aos municípios baianos, os dois estados mais afetados até o momento.

Minas Gerais – de 1º de outubro de 2021 a 17 de janeiro de 2022:

  • 414 decretos
  • 732.193 afetados
  • 64.156 desalojados
  • 12.871 desabrigados
  • 25 óbitos
  • 19.578 casas danificadas ou destruídas

Confira o estudo aqui.

Fonte: Agência CNM de Notícias

Foto: Raposos (MG); feita por Gil Leonardi da Imprensa MG