Home > Comunicação > Notícias > “Estamos preparados para fazer a ponta da linha, que é a vacinação. Esperamos agora um aporte maior de vacinas”, afirma o presidente da AMM em live com o governador mineiro e prefeitos

“Estamos preparados para fazer a ponta da linha, que é a vacinação. Esperamos agora um aporte maior de vacinas”, afirma o presidente da AMM em live com o governador mineiro e prefeitos

O presidente da AMM e 1º vice-presidente da CNM, Julvan Lacerda, participou na tarde da terça-feira (19) da transmissão ao vivo “live com os prefeitos para o anúncio dos protocolos de vacinação nos municípios”, promovida pelo Governo do Estado, com a presença do Governador de Minas Gerais, Romeu Zema; do Secretário de Estado de Saúde, Carlos Eduardo Amaral; do Secretário Adjunto de Saúde (SES-MG), Marcelo Cabral; da Diretora de Vigilância de Agravos Transmissíveis da Sec. de Saúde, Janaína Fonseca e do  presidente do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Minas Gerais (COSEMS-MG), Eduardo Luiz da Silva.

Na abertura do evento, o governador Romeu Zema destacou o trabalho que vem sendo feito pelo governo estadual e disse que a condução do processo deve contar com a mesma dedicação que vem sendo observada até agora nessa etapa crucial, que é a vacinação de fato. “Desde o início temos trabalhado com o maior planejamento possível para podermos salvar vidas e parece que o resultado tem aparecido. Minas Gerais ainda tem a menor taxa de óbitos do Brasil, apesar de todas as dificuldades financeiras. (…) Não é só dinheiro, comprometimento, acompanhamento e planejamento são fundamentais”.

Ele destacou a importância das administrações municipais como parceiros no processo. “Precisamos desse comprometimento, vai ser um processo longo, porque dependendo da disponibilidade, pode levar 9, 10 11 meses, não sabemos. Temos que estar atentos ao que está no nosso alcance e daí a importância de todos, secretaria estadual de saúde e prefeituras, estarem participando da forma mais produtiva e eficiente  possível”, disse.

Julvan Lacerda, representando os municípios mineiros, ressaltou que o governo estadual tem dado o apoio necessário aos municípios. “Estamos preparados para fazer a ponta da linha que é a vacinação. Agora nós precisamos esperar do governo federal um aporte maior de vacinas. (…) O nosso país tem uma dimensão continental, então nós precisamos de muito mais e esperamos isso o mais breve possível. Os prefeitos estão ansiosos, porque a população vem cobrando eles todos os dias e contamos com o governo do estado, até para auxiliar o governo federal, que ainda está meio perdido em relação a isso, pra que possamos fazer acontecer. Com certeza, o batalhão dos municípios está aqui na linha de frente pronto pra atender o comando da secretaria do estado e vacinar a população o mais rápido possível”, completou.

Logo depois, a equipe técnica apresentou os detalhes finais de como será a vacinação, inclusive a distribuição.

Distribuição 

Até às 11 horas desta terça-feira (19/1), 74% das vacinas recebidas por Minas Gerais via Ministério da Saúde já foram entregues às Regionais de Saúde do Estado em um trabalho integrado das Forças de Segurança Pública – Polícia Militar, Corpo de Bombeiros Militar, Polícia Civil e Gabinete Militar do Governador. Com isso, a expectativa é a de que todos os imunizantes cheguem ao destino em menos de 24 horas, garantindo uma agilidade ainda maior para a mais impactante operação de vacinação da história do Estado.

As 577.480 doses do primeiro lote de vacinas chegaram à central da Rede de Frios da Secretaria de Estado da Saúde (SES) nesta segunda-feira, às 22h27. Poucas horas antes, cinco integrantes do grupo prioritário, todos funcionários da linha de frente do Hospital Eduardo de Menezes, instituição estadual referência no tratamento da covid em Belo Horizonte e Minas Gerais, deram o pontapé inicial para a vacinação em solo mineiro.

No total, 25 voos decolaram do aeroporto da Pampulha rumo às Unidades Regionais de Saúde (URS) do Estado levando 409.103 doses de vacinas. O restante da carga (87.057 doses) segue por via terrestre para as unidades de Belo Horizonte, Divinópolis e Sete Lagoas, e também chega, nesta terça-feira (19/1), a seus destinos até 16 horas, conforme planejamento feito pela Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais (SES-MG).

Primeira fase

Seguindo o Plano Nacional de Imunização, serão vacinados neste primeiro momento os trabalhadores da saúde, os residentes de instituições de longa permanência, os deficientes e os indígenas, são os grupos prioritários da primeira fase.

Na reunião, foi ressaltado que os municípios terão autonomia para definir, dentro desse grupo, quem serão os vacinados, visto que o número de doses foi muito pequena. Ou seja, os critérios de aplicação vão ficar a cargo do município, que poderá remanejar caso julgue necessário. Porém, é necessário observar que o município não pode deixar de atender o grupo prioritário da primeira fase. Mas dentro dela, é possível remanejar de acordo com a sua necessidade. É preciso lembrar também que toda vacina deve ser, obrigatoriamente, registrada de forma nominal.

Aplicação

A diretora de Vigilância de Agravos Transmissíveis da Sec. de Saúde, Janaína Fonseca, explicou que a vacina chegou a Belo Horizonte nesta segunda-feira (18), e foi pra Central Estadual da rede de frios, “onde o pessoal passou toda a madrugada recebendo a vacina, faturando, notificando no sistema, para encaminhar para as regionais”.

Ela disse que, com o apoio das forças de segurança, as vacinas foram encaminhadas para as 28 regionais do estado, onde os municípios devem buscar as vacinas, também com apoio da força de segurança: “ Depois que chegarem aos municípios, as ações de vacinação serão realizadas”.

Janaína destacou também que os gestores devem pensar o que é a prioridade da prioridade e que a vacinação deve ser localizada, principalmente em razão da pouco quantidade. “Acreditamos que, nesse primeiro momento, fazer vacinação extra-muro, nos serviços de saúde onde estão os profissionais, nas instituições de longa permanência, no centro indígena, em lugares pontuais. Precisamos passar pra população que foi um pontapé inicial, e os grupos devem aguardar a sua vez de acordo com a prioridade”, destacou.

Primeira e segunda dose

Ao longo da live, vários gestores que assistiam perguntaram sobre o envio da primeira e segunda dose da vacina e como atuar em relação a isso. Janaína explicou que, neste primeiro momento, estão sendo distribuídas a primeira dose. A segunda dose está com a regional e vai ser distribuída aos municípios no tempo necessário para a aplicação da segunda dose.

Vacinação em Minas Gerais

O Governo iniciou nesta segunda-feira (18/1) a maior operação de vacinação de sua história. A primeira imunizada contra a covid-19 é a técnica de enfermagem Maria Bonsucesso Pereira, de 57 anos, que há mais de uma década atua no Centro de Tratamento Intensivo (CTI) do Hospital Eduardo de Menezes.

Além dela, outros quatro integrantes do grupo prioritário definido pelo Ministério da Saúde e que atuam na linha de frente de combate à doença no Estado também foram vacinados em ato simbólico com a presença do governador Romeu Zema. A cerimônia foi realizada logo após a chegada do primeiro lote de imunizantes ao Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, em Confins.

Saiba mais em agenciaminas.mg.gov.br

Mais informações com a assessora do departamento de Saúde da AMM, Juliana Marinho, pelo telefone (31) 2125-2433.