Home > Comunicação > Notícias > ESP e SES promovem webinários sobre reabilitação de pacientes pós-Covid-19

ESP e SES promovem webinários sobre reabilitação de pacientes pós-Covid-19

Os eventos ocorrem de 15 em 15 dias, às sextas-feiras, das 14h às 17h, e  o próximo será no dia 7 de maio envolvendo a macrorregião do Jequitinhonha

A Escola de Saúde Pública do Estado de Minas Gerais (ESP-MG) e a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), em parceria com o Núcleo de Geriatria e Gerontologia da UFMG, estão promovendo desde fevereiro deste ano a série de webinários: “Avaliação da funcionalidade dos usuários do SUS, após infecção pela Covid 19”. Os webinários são voltados para as realidades clínicas e assistenciais de cada uma das 14 macrorregiões do Estado e na sexta-feira, 23/04, aconteceu o 5º  encontro, destinado para a macrorregião Centro Sul.

Os eventos ocorrem de 15 em 15 dias, às sextas-feiras, das 14h às 17h, e todas as lives contam com a participação dos médicos Edgar Nunes de Moraes e Fábio Junior Modesto e Silva, ambos do Núcleo de Geriatria e Gerontologia da UFMG, parceiro da ação. A mediação é feita por Roberta Nunes Mourão da Cunha Pereira,  profissional que atua na Coordenação de Atenção à Saúde da Pessoa com Deficiência do Estado de Minas Gerais (CASPD), tendo apoio da ESP-MG.

Nos encontros, sempre há a participação de profissionais que atuam na  macrorregião contemplada, que discutem casos clínicos específicos do território. Há cada novo webinário, um perfil distinto de reabilitação de paciente é analisado, a partir do Índice de Vulnerabilidade Clínico Funcional (IVCF-20). Nesse webinário, os médicos Rafaela Machado Neto e Guilherme Felipe Pereira Vale, ambos da estratégia de saúde da família de Barbacena, apresentaram e debateram sobre um caso clínico de um paciente da região.

O Índice de Vulnerabilidade Clínico Funcional (IVCF-20) permite a estratificação do risco quanto ao grau de vulnerabilidade clínico funcional e orienta quanto ao manejo clínico da doença. Na Nota Informativa “Recomendações sobre a organização das Redes de Atenção à Saúde para promover a reabilitação dos usuários que após infecção pelo SARS-CoV-2 apresentam sequelas funcionais e necessitam da continuidade dos cuidados, no âmbito do Sistema Único de Saúde de Minas Gerais” é sugerida a utilização deste instrumento.

De acordo com Roberta Nunes Pereira, da CASPD, esse instrumento é composto por 20 perguntas que o profissional de saúde deve fazer e por meio dele é possível uma avaliação multidimensional da pessoa, observando várias dimensões do indivíduo, como o humor, a comunicação, as comorbidades, entre outros fatores, que podem ser afetados pela Covid-19.

Neste Índice de Vulnerabilidade, há um score que vai de 0 a 40 pontos, sendo que quanto maior for a pontuação, mais elevado será o grau de vulnerabilidade clínico e funcional. “Esse instrumento é muito importante, porque facilita a tomada de medidas em relação à prioridade quanto ao risco do paciente e também ao manejo e encaminhamentos mais adequados”, destacou.

Em sua apresentação, o médico Fábio Junior Modesto e Silva, do Núcleo de Geriatria e Gerontologia da UFMG reforçou a importância do trabalho em rede. “Precisamos entender  que a rede é feita de vários pontos e que nós profissionais  da saúde não somos funcionários exclusivos de um setor, pois trabalhamos  em rede, somos parte da rede. Não tem como pensar no cuidado do paciente de forma integral, se não pensarmos na assistência em rede”, pontuou.

O médico Edgar Nunes de Moraes,  do Núcleo de Geriatria e Gerontologia da UFMG, também enfatizou o trabalho em rede e ressaltou que, em razão da Covid-19, tem ocorrido uma oportunidade para organizar melhor o sistema enquanto rede de atenção à saúde. “A conectividade da rede tem sido um dos grandes desafios que a Covid está nos proporcionando. Eu gosto de destacar a importância da Covid no enfrentamento das condições de saúde dos nossos usuários, mas também é importante dizer que nosso objetivo não é apenas a Covid, mas sim a pessoa, o indivíduo e não a doença”, completou.

Reuniões preparatórias

Para cada webinário é feita uma organização didático-pedagógica, que inclui a seleção e apresentação de um estudo de caso pelos profissionais de cada macrorregião de saúde. O estudo de caso norteia a discussão e a aplicação prática do IVCF-20. Para isso,  antes de cada encontro, são realizadas reuniões preparatórias com os profissionais de saúde de cada macrorregião, os docentes do Núcleo de Geriatria e Gerontologia da UFMG, trabalhadores da CASPD e  da Coordenação de Promoção, Cuidado e Vigilância em Saúde da ESP-MG.

Durante as reuniões preparatórias e também nos Webinários são evidenciadas e discutidas as especificidades de cada território incluindo, por exemplo, a incidência de Covid-19, a estrutura e organização dos serviços de saúde, a vivência dos profissionais, contribuindo para que seja constituído um espaço de construção, compartilhamento e aprendizado coletivo em sintonia com os processos educacionais da ESP-MG.

O próximo webinário acontecerá no dia 7 de maio e a macrorregião contemplada será a Jequitinhonha.

Confira aqui a listagem com a previsão dos próximos webinários.

As transmissões acontecem  pelo Canal da ESP-MG no Youtube.  Elas estão disponíveis em: https://www.youtube.com/escolasaudepublicamg

Mais informações com a assessora do departamento de Saúde da AMM, Juliana Marinho, pelo telefone (31) 2125-2433.