Home > Comunicação > Notícias > “Devemos, como gestores, buscar acertar cada vez mais e fortalecer o combate à corrupção no serviço público” alerta Julvan em evento do TCU

“Devemos, como gestores, buscar acertar cada vez mais e fortalecer o combate à corrupção no serviço público” alerta Julvan em evento do TCU

Para apoiar as organizações públicas a enfrentar a corrupção, nesta quarta (23), o presidente da Associação Mineira de Municípios (AMM), Julvan Lacerda, participou do lançamento do Programa Nacional de Prevenção à Corrupção (PNPC) no Estado de Minas Gerais. A AMM entra nessa luta ajudando na divulgação do PNPC aos municípios mineiros, para ampliar o seu alcance e sensibilizar os dirigentes locais sobre a importância e utilidade do programa.

Também participaram da abertura o governador Romeu Zema; o presidente do TCEMG, Conselheiro José Alves Viana; o vice-presidente do TJMG, Jose Flavio de Almeida; A coordenadora da Ação Integrada da Rede de Controle e Combate à Corrupção de Minas Gerais (ARCCO) e superintendente de Controle Externo do TCEMG, Simone Reis, e a secretária do TCU no Estado de Minas Gerais, Roberta Mallab Coscarelli.

Em Minas, o trabalho está sendo conduzido pela ARCCO/MG, por meio de Câmara exclusivamente dedicada ao Programa, composta por representantes de das unidades do TCU e da CGU no Estado, o Tribunal de Contas do Estado e a Controladoria Geral do Estado. A iniciativa conta, também, com o apoio da AMM e das demais instituições integrantes da ARCCO-MG.

“Nosso compromisso da AMM é se somar nesse movimento, cerrar fileiras no sentido de orientar os gestores a fazer essa prevenção local também.  Porque tenho certeza que a maioria dos gestores querem acertar, mas muitas vezes erram por desconhecimento. E os Tribunais, com essa nova forma de conduzir, no sentido de orientar em prevenção aos erros e combate a corrupção, nos auxilia. Porque nós, agentes públicos, devemos todos ser combatentes da corrupção”, destacou Julvan.

O PNPC é uma proposta inovadora adotada pela Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro (ENCCLA), com coordenação e execução pelas Redes de Controle nos Estados, patrocinada pelo Tribunal de Contas da União (TCU) e pela Controladoria-Geral da União (CGU). Conta com o apoio da Associação dos Membros dos Tribunais de Contas do Brasil (Atricon), Conselho Nacional dos Presidentes dos Tribunais de Contas (CNPTC), Associação Brasileira dos Tribunais de Contas dos Municípios (Abracom), Conselho Nacional de Controle Interno (Conaci) e Confederação Nacional dos Municípios (CNM).

O Programa é voltado a todos os gestores das organizações públicas (das três esferas de governo e dos três poderes em todos os estados da federação) e tem o objetivo de reduzir os níveis de fraude e corrupção no Brasil a patamares similares aos de países desenvolvidos.

Por meio de uma plataforma de autosserviço on-line contínua, o gestor terá a oportunidade de avaliar sua instituição, descobrindo previamente os pontos mais vulneráveis e suscetíveis a falhas. A partir desse diagnóstico, ele terá acesso a um plano de ação específico que apresentará sugestões e propostas adequadas às necessidades da sua entidade. O Programa oferece ainda orientações, treinamentos, modelos e dispõe de parcerias com órgãos e entidades públicas e privadas para implantação dos mecanismos de controle à corrupção.

Assista: