Home > Comunicação > Notícias > Definidas regras para o reconhecimento de uma organização da sociedade civil em Centro de Referência em Dependência Química

Definidas regras para o reconhecimento de uma organização da sociedade civil em Centro de Referência em Dependência Química

Foram publicadas no Diário Oficial da União, de 15 de julho, as regras necessárias para o Estado reconhecer uma organização da sociedade civil como Centro de Referência em Dependência Química (Ceredeq). Essas unidades atendem dependentes de álcool e drogas buscando o tratamento e a reinserção social.

De acordo com a Portaria 437, poderão ser reconhecidas, como Centro de Referência em Dependência Química, as organizações da sociedade civil que estejam cadastradas na Secretaria Nacional de Cuidados e Prevenção às Drogas, do Ministério da Cidadania.

Outras exigências são: o desenvolvimento de atividade de prevenção ao uso ou dependência do álcool e outras drogas; e também atividades de tratamento, acolhimento, apoio; além de reinserção social de dependentes químicos. A organização também deve estar vinculada a uma instituição de Educação Superior.

Para serem reconhecidas como Centro de Referência em Dependência Química, essas entidades precisam ainda desenvolver ações de capacitação de profissionais que trabalham na área; e fazer pesquisas, estudos ou desenvolver serviços que busquem a redução da demanda de drogas.

O secretário nacional de Cuidados e Prevenção às Drogas do Ministério da Cidadania, Quirino Cordeiro, ressaltou a importância do trabalho conjunto entre os governos federal, estadual e municipal e a sociedade civil para o enfrentamento e o combate às drogas. “Temos trabalhado em conjunto com entidades da sociedade civil, pois temos a plena convicção da necessidade de incluirmos e mobilizarmos os vários atores que militam nas políticas públicas sobre drogas no País para que possamos ter resultados cada vez mais efetivos.”

Fonte: Governo Federal. Foto: Agência Brasil/Unidades devem atender dependentes de álcool e drogas buscando o tratamento e a reinserção social

Mais informações com a assessora do departamento de Assistência Social da AMM, Jéssica Araújo, pelo telefone (31) 2125-2404.