Home > Coronavírus > Coronavírus: Ministério da Saúde recomenda a continuidade da amamentação

Coronavírus: Ministério da Saúde recomenda a continuidade da amamentação

Caso a mulher não se sinta segura em amamentar enquanto estiver com coronavírus, ela deve retirar o seu leite e ofertar à criança

Frente à situação com o Novo Coronavírus (Covid-19) e os desafios futuros, o Ministério da Saúde esclarece que até o momento não há evidência científica que comprove a transmissão do coronavírus por meio da amamentação. A nota técnica Nº 7/2020 elaborada pelo Departamento de Ações Programáticas Estratégicas, da Secretaria de Atenção Primária à Saúde (Dapes/Saps) do Ministério da Saúde, em parceria com outras entidades, traz esclarecimentos sobre esse assunto. Por enquanto, a Organização Mundial da Saúde (OMS) orienta a manutenção da amamentação por falta de elementos que comprovem que o leite materno possa disseminar o coronavírus. 

Assinam o documento a Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano (rBLH), Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), Instituto de Medicina Integrada Professor Fernando Figueira (IMIP), Instituto de Saúde de São Paulo (IS-SP), Associação Brasileira de Obstretrizes e Enfermeiros Obstetras (Abenfo) e Rede Internacional em Defesa do Direito de Amamentar/Internacional Baby Food Acon Network (IBFAN), com orientações direcionadas ao Centro de Operações de Emergências para o Coronavírus (COE Covid-19).

O documento traz recomendações para a amamentação em eventuais contextos de transmissão de síndromes gripais. Assim, considerando os benefícios da amamentação para a saúde da criança e da mulher, a ausência de evidências científicas sobre a transmissão do coronavírus por meio da amamentação e que não há recomendação para a suspensão do aleitamento materno na transmissão de outros vírus respiratórios, o Ministério da Saúde recomenda que a amamentação seja mantida mesmo em caso de infecção pelo Covid-19, desde que a mãe deseje amamentar e esteja em condições clínicas adequadas para fazê-lo.

Uma das orientações destacadas no documento é que, caso a mulher não se sinta segura em amamentar enquanto estiver com coronavírus, ela deve retirar o seu leite e ofertar à criança. Tendo em vista que a mãe infectada pode transmitir o vírus por meio de gotículas respiratórias durante o contato com a criança, incluindo a amamentação, é recomendado para a lactante:

  • lavar as mãos por pelo menos 20 segundos antes de tocar o bebê ou antes de retirar o leite materno (extração manual ou na bomba extratora);
  • usar máscara facial (cobrindo completamente nariz e boca) durante as mamadas e evitar falar ou tossir durante a amamentação;
  • seguir rigorosamente as recomendações para limpeza das bombas de extração de leite após cada uso;
  • considerar a possibilidade de solicitar a ajuda de alguém que esteja saudável para oferecer o leite materno em copinho, xícara ou colher ao bebê;
  • aprender a fazer tudo isso com a ajuda de um profissional de saúde.

Confira outras orientações aqui: http://189.28.128.100/dab/docs/portaldab/documentos/SEIMS_0014033399_Nota_Tecnica.pdf

Fonte e imagem: Ministério da Saúde.

Mais informações com a assessora do departamento de Saúde da AMM, Juliana Marinho, pelo telefone (31) 2125-2433.