Home > ÁREAS TÉCNICAS > Cultura e Turismo > Circuito Liberdade é ampliado e abrange novos espaços culturais 

Circuito Liberdade é ampliado e abrange novos espaços culturais 

Museu dos Militares Mineiros, Sala Minas Gerais, Câmera Sete, Mineiraria, Palácio das Artes e Casa Funarte Liberdade. Estes são os equipamentos culturais que já passam a integrar o novo Circuito Liberdade, expandido para receber os equipamentos inseridos na área definida pelo projeto original de 1895 da cidade de Belo Horizonte, delimitada pela Avenida do Contorno.

E o que não faltam são espaços para fazerem parte desse complexo cultural, como o Mercado Central, Sesc Palladium e Museu de Artes e Ofícios, que muito representam a cultura e o turismo mineiro e que já estão se preparando para este novo momento.

A Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais (Secult) publicou, na edição de (24/2) do Diário Oficial do Estado, a Resolução Secult Nº 35. O texto detalha as diretrizes para que equipamentos culturais da cidade sejam qualificados para compor o Circuito, além de pontuar sobre a instituição do Roteiro Turístico “Circuito Liberdade”, em Belo Horizonte.

O Museu de Artes e Ofícios, que tem um acervo de mais de duas mil peças representativas da história do trabalho no Brasil, está localizado na Praça da Estação e dá início a uma das rotas que leva à Praça da Liberdade, saindo da estação Ferroviária Central e passando pela histórica Rua da Bahia.

Outro espaço que em breve oficialmente fará parte do Circuito Liberdade é o Mercado Central, ponto de encontro de mineiros e turistas que desejam conhecer e celebrar o melhor da cozinha mineira.

Adesão

Entre as especificidades para a adesão de novos equipamentos ao complexo cultural, estão a ampliação e a diversificação da programação cultural e do acesso à cultura, a articulação de projetos e ações culturais em rede e a promoção turística do Circuito Liberdade com foco na economia criativa como mecanismo de geração de emprego e renda.

Para integrar o Circuito Liberdade, os equipamentos culturais também devem se atentar às especificidades que promovam a transversalidade entre a Cultura e o Turismo. Além de oferecer programações democráticas e que garantam o acesso à arte e à cultura, os requerentes devem apostar em atrações que promovam a aproximação entre as agências e operadoras de turismo receptivo habilitadas no Programa “Minas Recebe”. A Resolução publicada também especifica todo o processo de requerimento para que o espaço passe a integrar o Circuito Liberdade em Belo Horizonte. A adesão ao Circuito Liberdade ou a integração ao Roteiro Turístico Circuito Liberdade não ensejarão repasse financeiro do Estado.

Circuito Liberdade

Conjunto de espaços culturais integrados, reconhecido e consolidado nacionalmente, voltado para a promoção da cultura e do turismo do estado, com foco na difusão do conhecimento e na economia criativa, o Circuito Liberdade passou a ser gerido pela Secult em outubro de 2020, por meio de um Decreto do Governo de Minas Gerais. Desde então, a pasta tem investido na ampliação desse roteiro para integrar as potencialidades turísticas e culturais de Belo Horizonte.

Imagem: Acervo Secult 

Mais informações com a assessora do departamento de Cultura e Turismo da AMM, Brenda Grandioso, pelo telefone (31) 2125-2437.