Home > CQGP > Andradas recebe a primeira edição do projeto “AMM nos municípios”

Andradas recebe a primeira edição do projeto “AMM nos municípios”

O município de Andradas, na Região Sul de Minas Gerais, foi anfitrião do primeiro evento do projeto “AMM nos Municípios – Encontro nas Macrorregiões”, no dia 21 de julho de 2017. A Câmara do município ficou lotada, com a presença de servidores públicos, vereadores e prefeitos da região, em uma manhã de debates sobre as principais causas do municipalismo.

Na avaliação do presidente da AMM e prefeito de Moema, Julvan Lacerda, o evento é essencial para fortalecer os laços dos municípios e qualificar as gestões locais, usando a estrutura da AMM. “Agradeço aos nossos parceiros, que apresentam, aqui, propostas de melhorias para a gestão pública, e, também, discussões das políticas públicas e relações institucionais para aprimorar a gestão.”

O prefeito de Andradas e diretor Regional Sul da AMM, Rodrigo Lopes, conta que pediu para ser o anfitrião do projeto-piloto para apresentar aos visitantes a festa

do vinho do município, que acontece nesta sexta-feira. “Este dia é histórico para Andradas. Esta é a oportunidade para discutirmos, juntos, o que pode ser construído no âmbito do municipalismo.”

De acordo com o presidente da Câmara Municipal de Andradas, vereador Luiz Augusto Liparini, o projeto aproxima os servidores públicos e vereadores dos trabalhos da AMM, uma vez que, muitas vezes, devido à distância, encontram dificuldades para participarem de cursos e eventos em Belo Horizonte.

Na oportunidade, os técnicos da AMM fizeram um atendimento no CRAS de Andradas, quando passaram orientações sobre um projeto para moradores rua, em situação de vulnerabilidade. A equipe prestou assistência, também, nos assuntos da área de Saúde – melhorias para avaliação do PMAQ, código sanitário, distribuição de medicamentos e formas de contratação dos agentes da saúde.

Palestras 

A primeira palestra do dia foi sobre “Políticas públicas da Engenharia”, com José do Carmo Dias, representante do Crea-MG. De acordo com o palestrante, nem todos os municípios têm condições de fazer um plano diretor, porém, é indispensável ter um planejamento para que as cidades cresçam de forma organizada. “Para que vocês não tenham problemas futuros, como as inundações.”

Na palestra sobre “smart cities”, a geógrafa Grazielle Carvalho definiu cidades inteligentes como sendo aquelas em que há qualidade de vida para os cidadãos, por meio da prestação de serviços eficientes. “E essa inteligência pode vir de várias formas, uma delas é com uso da tecnologia. Não tem como ter uma cidade inteligente sem uma base de dados cadastrais em que estão inseridas as informações.”

O representante do TCE-MG, Paulo Vicente Guimarães Silva, falou sobre o projeto “Na ponta do lápis”. “Precisamos regionalizar os dados e saber onde estão os analfabetos, aqueles que precisam da escola. Sugiro a reunião dos municípios para fazer um trabalho conjunto, pois é necessário que a gente tenha dados.”

Na opinião do promotor e coordenador do CAO-Saúde, Gilmar de Assis, o momento foi importante para levar a todos a reflexão sobre o fomento das ações de serviços de saúde para alcançar o êxito da estratégia do Ministério Público. 

Projeto

O “AMM nos Municípios – Encontro nas Macrorregiões” tem como objetivo proporcionar aos gestores e servidores públicos das cidades do interior de Minas Gerais, que nem sempre podem estar na sede em Belo Horizonte, a oportunidade de participarem, reivindicarem ações e, juntos, buscarem soluções e mais desenvolvimento, principalmente, aos pequenos municípios.

As reuniões contarão com a presença de autoridades da região, apresentação dos programas desenvolvidos pelas entidades parceiras e, ainda, com a apresentação técnica da equipe da AMM, direcionada às individualidades e particularidades de cada uma das regiões, atendendo as suas demandas. Para a efetividade da programação, dentro dos dois anos da atual gestão, foi elaborado um ciclo em três fases, com datas e locais definidos atendendo as 30 diretorias regionais, com alcance em todos os municípios mineiros. As 10 cidades do 1º ciclo já foram definidas para 2017.

O projeto de interiorização foi pensado em parceria com o Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais (TCE/MG), Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Minas Gerais (CREA/MG), Ministério Público do Estado de Minas Gerais (MP/MG), Governo do Estado de Minas Gerais, por meio da Secretaria de Estado de Cidades e de Integração Regional (SECIR/Subsecretaria de Integração Regional), e, Secretaria de Estado de Segurança Pública/SESP/Subsecretaria de Integração, com apoio institucional da Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais (ALMG) e da Confederação Nacional de Municípios (CNM).

Publicado em 21 de julho de 2017.