Home > Comunicação > Notícias > AMM reforça importância do uso de máscara e higienização das mãos mesmo após a administração da vacina

AMM reforça importância do uso de máscara e higienização das mãos mesmo após a administração da vacina

A população precisa continuar tomando os cuidados para evitar a contaminação com o coronavírus, uma vez que a rede de saúde está trabalhando em capacidade máxima com a Covid-19

As equipes das prefeituras dos municípios mineiros e de todo o País já começaram a vacinar a população contra a Covid-19, trabalhando em conjunto com a Secretaria de Estado da Saúde e o Ministério da Saúde para o cumprimento do Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação Contra a Covid-19. Mesmo com todo o planejamento estima-se que a doença poderá ser controlada em dois anos, ou seja, a partir de 2023.

A única forma de conter a doença é por meio dos cuidados básicos e indispensáveis: usar máscara, higienizar as mãos após tocar objetos e superfícies e manter o distanciamento de dois metros, sobretudo das pessoas do considerado grupo de risco (doentes, com comorbidades, idosos e gestantes).

Conforme dados da Secretaria de Estado da Saúde, com o aumento de 19% na taxa de incidência do coronavírus em Minas na última semana, o Comitê Extraordinário Covid-19 definiu, nesta quarta-feira (20/1), pela manutenção de dez das 14 macrorregiões na onda vermelha do Minas Consciente. Nessa fase do plano, é autorizada a abertura somente dos serviços essenciais, como padarias, supermercados, farmácias e bancos.

A população precisa continuar tomando os cuidados para evitar a contaminação com o coronavírus, uma vez que a rede de saúde está trabalhando em capacidade máxima com a Covid-19, conforme amplamente divulgado na mídia no último mês.

De acordo com a assessora do departamento de Saúde da AMM, o momento é de união de todos para reforçar as medidas de prevenção à Covid-19. “Gostaria de reforçar, neste período, a importância da prevenção, porque, com a chegada das vacinas, pode ter um relaxamento das pessoas. Temos que destacar que as vacinas ainda são muito poucas, que a falta de insumo vai atrasar esse processo de prevenção e que a medida mais eficaz neste momento continua sendo o distanciamento social, higienização das mãos, uso de máscara e sair de casa só quando necessário”, enfatiza a assessora.

Orientações aos municípios

Em documento enviado aos gestores, o Ministério destaca a importância em seguirem as orientações para garantir uma imunização eficaz no País (confira aqui).

Neste primeiro ciclo de aplicação de doses, serão contemplados profissionais de saúde, idosos acima de 60 anos institucionalizados, portadores de deficiência com mais de 18 anos institucionalizados e indígenas aldeados em terras homologadas. A campanha e os grupos contemplados serão escalonados de acordo com a disponibilidade de doses da vacina contra a Covid-19.

A quantidade de doses para cada um dos 853 municípios mineiros foi feita de acordo com os dados alimentados pelos gestores municipais nos sistemas de informações federais: Cadastro Nacional de Estabelecimento de Saúde (CNES), Cadastro Nacional da Assistência Social (CadSUAS) e o Departamento de Saúde Indígena (Desai).

Clique aqui – Quantitativos de vacinas enviadas por município

Sobre o coronavírus

O Coronavírus (CID10) é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31 de dezembro de 2019, após casos registrados na China e provoca a doença chamada de Covid-19.

O período de incubação da doença é o tempo que leva para os primeiros sintomas aparecerem, desde a infecção por coronavírus, que pode ser de dois a 14 dias.

É possível a transmissão viral após a resolução dos sintomas, mas a duração do período de transmissibilidade é desconhecido para o coronavírus.

Os principais sintomas conhecidos até o momento são: coriza, diarreia, febre, tosse e dificuldade para respirar.

Ao sentir esses sintomas, procure uma unidade de saúde imediatamente. Se tiver sintomas de gripe comum, procure ficar em casa, de forma isolada, fazendo repouso e tomando bastante líquido.

Saiba mais no vídeo do Ministério da Saúde (clicando aqui).

Mais informações com a assessora do departamento de Saúde da AMM, Juliana Marinho, pelo telefone (31) 2125-2433.

Fontes para pesquisa: COESMINAS/COVID-19/SESMG/Governo do Estado e Ministério da Saúde. Foto: Pixabay.