Home > Comunicação > Notícias > AMM participa do encontro Conexões Sustentáveis promovido pela Crea-MG

AMM participa do encontro Conexões Sustentáveis promovido pela Crea-MG

O assessor do departamento de Meio Ambiente da AMM, Licínio Xavier, participou do primeiro encontro Conexões Sustentáveis, nesta terça-feira, 14 de setembro, na sede do Crea-MG, em Belo Horizonte, com representantes de instituições que apresentaram contribuições ao Projeto de Apoio às Cooperativas de Materiais Recicláveis do Estado de Minas Gerais.

O Crea-MG apoia, nos limites de suas atribuições legais, o esforço coletivo para a requalificação de galpões de Associações de Catadores de Materiais Recicláveis. O projeto, liderado pelo Fórum Estadual Lixo e Cidadania, busca estabelecer metodologia para diagnóstico, desenvolvimento e implantação de um modelo de gestão compartilhada, envolvendo instituições, prefeituras, ONGs e catadores de materiais recicláveis para a captação de recursos, elaboração de projetos, licitação e obras e serviços de adequação física dos galpões das cooperativas.

A engenheira civil e sanitarista Maria Consuelita Oliveira, inspetora-secretária do Crea-MG em BH, destacou na agenda como o Conselho atua para que os galpões de reciclagem tenham projetos de engenharia.

“A proposta do Sistema, apoiando o Fórum Estadual Lixo e Cidadania, o GT de Infraestrutura que foi implantado a partir deste momento, é fazer o diagnóstico da situação da infraestrutura das cooperativas, trabalhar os diversos projetos, estrutural, arquitetônico, hidrossanitário, elétrico, de prevenção e combate a incêndio, layout compreendendo a necessidade da engenharia de produção, da engenharia de segurança do trabalho, articulando com os prefeitos, com as inspetorias locais, com as cooperativas, com os cooperados e associados para que o projeto seja construído com eles e não, simplesmente, para eles. Então, mais uma vez, é a visão e a missão do Crea- MG em ação do nosso Estado.”

Marislene Nogueira, diretora do Instituto Nenuca de Desenvolvimento Sustentável – INSEA, apresentou na reunião os resultados do diagnóstico da situação de infraestrutura de 65 organizações de catadores em cinco regiões de Minas Gerais. Esta pesquisa foi feita a fim de viabilizar a implementação de plano de negócios sustentáveis em rede de catadores. A proposta de intervenção, ainda em andamento, busca garantir condições de trabalho a partir das carências e das potencialidades dos galpões.

“ Nesse conjunto de 65 associações e cooperativas que foram pesquisadas, apenas 30 possuem projeto arquitetônico, apenas oito projeto estrutural. Para a gente, o que mais preocupa, é que desse conjunto apenas nove delas possuem projeto de combate a incêndio. E o fato de ter o projeto de combate a incêndio não, necessariamente, significa que esses projetos estão implantados. Isso mostra como esse projeto que a gente está discutindo no Crea-MG é de extrema importância, que não dá para gente questionar a eficiência do trabalho se esses sujeitos não têm as condições mínimas para executar com segurança o seu trabalho.”

Ivaneide da Silva Souza, diretora da Rede Sol, central com 12 cooperativas filiadas, participou do evento no Crea-MG, e espera avanços concretos no projeto, que reconhece o valor socioambiental dos catadores de materiais recicláveis.

“A gente está muito feliz que o Crea-MG está apostando nesse projeto e tantos outros parceiros vendo a importância desses trabalho que a reciclagem, a recuperação desses resíduos. Outrora o pensamento era só o aterramento, e a gente está lutando contra a incineração, contra queimar esses resíduos. Eu acho que é um grande passo é melhorar essas infraestruturas. Então, a gente está muito animado com esse projeto piloto, acreditando que vários outros projetos como esse vão surgir em muitas cidades de Minas Gerais.”

Ao todo, 90% dos materiais que chegam às indústrias recicladoras passam pelas cooperativas de catadores, como a Rede Sol. O projeto piloto deve ser realizado em uma cidade do Norte de Minas Gerais. A escolha das associações beneficiadas será definida por critérios de vulnerabilidade operacional. A liberação de recursos se dará pelo repasse de indenizações ambientais do Estado. E a licitação de obras pelas prefeituras municipais.

Mais informações com o assessor do departamento de Meio Ambiente da AMM, Licínio Xavier, pelo telefone (31) 2125-2418.