Home > ÁREAS TÉCNICAS > Saúde > Transferência de recursos do SAD para Bloco de Média e Alta Complexidade

Transferência de recursos do SAD para Bloco de Média e Alta Complexidade

Os repasses financeiros para os Municípios beneficiários do Programa Melhor em Casa passaram a onerar no Bloco de Média e Alta Complexidade (MAC) e não mais no Bloco da Atenção Básica.

Esta alteração começou a valer no pagamento atrasado da primeira parcela de 2016, que só foi transferida neste mês de junho. Entretendo, não implica na mudança da coordenação local do Programa, uma vez que o Serviços de Atenção Domiciliar (SAD) deve estar associado e em consonância aos fluxos das Rede de Atenção à Saúde.

Outra mudança refere-se processo de adesão ou ampliação do Programa, no qual, não serão mais aceitos pela coordenação do programa projetos por meio físico ou por e-mail, estes serão arquivados e não serão analisados. O gestor de saúde que deseja criar ou ampliar o SAD, deverá encaminhar o projeto através do Sistema de Apoio a Implementação de Políticas em Saúde (SAIPS).

O Programa Melhor em Casa foi criado em 2011, por meio da Portaria 2.029 que regulamentou a Atenção Domiciliar no SUS. Atualmente está regulamentada pela Portaria 825/2016 no qual determinou as mudanças descritas.

O Melhor em Casa é um serviço indicado para pessoas que apresentam dificuldades temporárias ou definitivas de sair do espaço da casa para chegar até uma unidade de saúde, ou ainda para pessoas que estejam em situações nas quais a atenção domiciliar é a mais indicada para o seu tratamento. A atenção domiciliar visa a proporcionar ao paciente um cuidado mais próximo da rotina da família, evitando hospitalizações desnecessárias e diminuindo o risco de infecções, além de estar no aconchego do lar, atualmente 340 Municípios possuem esse serviço.

Conforme a necessidade do paciente, esse cuidado em casa pode ser realizado por diferentes equipes. Quando o paciente precisa ser visitado de maneira mais espaçada, por exemplo, uma vez por mês, e já está mais estável, este cuidado pode ser realizado pela equipe de Saúde da Família/Atenção Básica de sua referência. Já nos casos em que o paciente precisa ser visitado semanalmente ou mais, ele poderá ser acompanhado por equipes específicas de Atenção Domiciliar, como as que fazem parte do Programa Melhor em Casa.

O atendimento é realizado por equipes multidisciplinares, formadas prioritariamente por médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem e fisioterapeuta ou assistente social. Outros profissionais (fonoaudiólogo, nutricionista, odontólogo, psicólogo, terapeuta ocupacional e farmacêutico) poderão compor as equipes de apoio. Cada equipe poderá atender, em média, 60 pacientes, simultaneamente.

Acesse aqui Portaria com as alterações

Nota técnica do MS aqui

 

Com Informações da CNM
Publicado em 21 de junho de 2016

You may also like
AMM divulga carta de apoio aos municípios frente aos atrasos nos repasses de recursos para a área da saúde
Municípios ainda podem prorrogar prazos de obras no Sismob
Aprovado em 1º turno aumento de gastos mínimos para saúde
Funed oferece exame para diagnóstico de Zika Vírus