Home > COMUNICAÇÃO > Reforma política é pauta de discussão na Marcha

Reforma política é pauta de discussão na Marcha

O segundo dia da Marcha a Brasília, realizada na capital federal até a próxima quinta-feira (28/05), foi marcado pelo debate sobre a reforma política, que vem sendo votada no Senado nos últimos dias. O tema causou agitação não só entre os prefeitos de todo o país presentes no evento, como também entre os líderes partidários que apresentaram suas posições sobre itens como o fim da reeleição, a coincidência de mandatos e o financiamento de campanhas.

O presidente do PSDB, senador Aécio Neves, chegou ao local da Marcha acompanhado pelo presidente da Associação Mineira de Municípios (AMM), Antônio Júlio, responsável pelo convite ao senador que recebeu os prefeitos mineiros para uma conversa.

Aécio foi duro com o governo federal no que se refere às reivindicações municipalistas. “Os municípios pagam as contas da crise do governo federal. Já pagaram no momento do estímulo ao crescimento da economia com as desonerações de impostos que são compartilhados. Agora o governo busca aumentar tributos, penalizando todos os brasileiros, de forma geral. Na Saúde e Educação, só nos primeiros quatro meses deste ano, R$1 bilhão a menos deixou de ser transferido para as cidades. E essa situação tende a continuar”, lamentou.

Para Beto Albuquerque, vice-presidente do PSB, unificar a eleição significa levar a discussão para a base. Em relação ao financiamento de campanha, a legenda votará na modalidade mista. “Chega de pirotecnia. Vamos para o debate, sem gastos excessivos em eleições”, disse.

O vice-presidente do PSD, Guilherme Campos, fez uma ressalva sobre a coincidência de mandatos. “Eu sou voto vencido. Mas, se fosse tão bom assim, o passado não seria mudado. Pode não ser bom para a democracia, apesar de representar economia”.

Posse da diretoria da CNM

A nova diretoria da Confederação Nacional de Municípios (CNM) para 2015-2018 foi empossada durante cerimônia ocorrida na última terça-feira (26/05), no Centro Internacional de Convenções do Brasil, em Brasília.

Neste mandato, Minas Gerais está representada pelo prefeito de Ipuiuna, Élder Oliva, que integrará o Conselho Regional da CNM, como membro da região Sudeste. “É importante que o Estado esteja presente na Confederação e no contexto nacional do debate municipalista e, também, para que possamos defender os interesses do nosso entorno”, disse Élder, que também faz parte da diretoria da AMM.

O presidente da entidade, Paulo Ziulkoski, foi reeleito em março deste ano e, em seu discurso de posse, se emocionou ao lembrar o longo processo de fortalecimento do movimento municipalista.

You may also like
Brasília: Prefeitos criticam repasses federais