Home > COMUNICAÇÃO > Programa de inclusão digital muda a realidade dos municípios

Programa de inclusão digital muda a realidade dos municípios

Desde que foi lançado pelo Ministério das Comunicações, o Cidades Digitais  trouxe a proposta de mudar a realidade dos municípios brasileiros. Com o objetivo principal de promover melhoria da gestão pública e dos serviços prestados à população, o programa oferece um ambiente propício ao desenvolvimento de negócios locais, a partir da inclusão digital, o que torna a gestão mais eficiente e transparente.

Entre as ações do programa estão a implantação de infraestrutura de alta capacidade de comunicação, a oferta de aplicativos de governo eletrônicos e a capacitação de servidores, o que altera o ambiente local, na medida em que novas práticas de gestão são exigidas. De acordo com o diretor de Infraestrutura para Inclusão Digital do Ministério das Comunicações, Américo Bernardes, o Cidades Digitais facilita o acesso ao conhecimento, permitindo avanços na área educacional. “Nós acreditamos que isso permitirá iniciar um processo contínuo de transformação da realidade municipal, com efeitos de curto, médio e longo prazos”, afirma.

No âmbito da administração municipal, o Cidades Digitais permite uma melhor eficácia e efetividade nas ações das prefeituras. “O programa é mais eficiente porque permite a implantação de uma gestão automatizada de processos, de integração de informações, garantindo ao prefeito um melhor conhecimento da realidade  do município”, disse Bernardes. Com essas operações o diretor acredita que a interação entre os munícipes e a administração será facilitada. “A inclusão digital é o passo essencial para  a construção da cidadania nos dias de hoje”, enfatiza.

Aplicativos

O Cidades Digitais prevê ainda a implantação de aplicativos nas áreas de educação, saúde, gestão tributária e financeira do município, que pode adotar soluções próprias ou valer-se de indicações da secretaria. A Secretaria de Inclusão Digital, após criterioso estudo elaborado por instituições parceiras, decidiu-se pela adoção do Urbem (maiores informações abaixo) como aplicativo de governo eletrônico, e já contratou o Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) para sua hospedagem.

De acordo com Bernardes, está em finalização a publicação da solução no portal Software Público Brasileiro, condição para adoção do aplicativo. Cerca de 30 municípios do projeto-piloto que está implantando redes em 80 municípios manifestaram seu interesse no uso do Urbem. “Estamos trabalhando para que a implantação comece no início de 2015. Entendemos que a colaboração da CNM, fruto de articulação da Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República, por meio da Subchefia de Assuntos Federativos, será de grande importância para a disseminação dos conceitos de modernização e transparência na gestão pública”, conclui.

Urbem

O Urbem propõe a modernização da gestão municipal por meio da adoção de mecanismos que garantam a organização dos processos internos e auxiliem no planejamento e na tomada de decisão do gestor. “Para atender às demandas da estrutura administrativa municipal, o Urbem pode ser adequado às necessidades de cada gestão. Além disso, integra todos os setores da prefeitura, garantindo maior controle da arrecadação e de todas as informações de interesse da administração local”, afirma o diretor de Relações Institucionais da CNM, Gustavo Cezário.

Atualmente, o Urbem é licenciado como software livre, sob a Licença Pública Geral (GNU/GPL), e a sua aquisição pode ser feita por download, no link www.urbem.cnm.org.br/download ou pelo site www.urbem.cnm.org.br. No mesmo endereço está disponível também o manual de instalação e o manual de utilização do aplicativo. O gestor ainda pode pode ter acesso a uma equipe preparada para sanar suas dúvidas.  O produto é oferecido sem qualquer ônus ao município.

You may also like
Municípios devem regulamentar a Lei de Acesso à Informação
Durante Marcha a Brasília, presidente da AMM fala da atitude do gestor municipal diante da crise política nacional
Elaboração de plano municipal de saneamento básico
Concurso global oferece U$ 9 milhões para municípios inovadores