Home > COMUNICAÇÃO > Presidente da AMM participa do Comitê da Dengue

Presidente da AMM participa do Comitê da Dengue

O presidente da Associação Mineira de Municípios (AMM) e prefeito de Pará de Minas, Antônio Júlio, participou na última quinta-feira, 14 de janeiro, de reunião com o Comitê Gestor Estadual de Políticas de Enfrentamento à Dengue, Chikungunya e Zika Vírus. O objetivo do encontro foi dar segmento às ações estabelecidas durante a primeira reunião do grupo e determinar os próximos passos a serem dados no enfrentamento das larvas do mosquito aedes aegypti.

A reunião foi realizada na Cidade Administrativa, em Belo Horizonte. Coordenada pelo vice-governador Antônio Andrade, contou com a participação do secretário de Estado de Saúde, Fausto Pereira dos Santos, secretários de saúde municipais e prefeitos representantes das cidades de Pará de Minas, Governador Valadares, Ubá e Bom Despacho. De acordo com pesquisa realizada pela SES, estes municípios são considerados em situação crítica.

Integrante do Comitê e prefeito de uma das cidades com alto índice de focos do mosquito, Antônio Júlio falou de ações realizadas em Pará de Minas e defendeu que as prefeituras não devem maquiar informações para a SES. “Só assim teremos informações que podem nos ajudar a tomar atitudes relevantes para controlar essas doenças”. Ele destacou ainda que o comprometimento da população é fundamental: “o combate passa pela educação e comprometimento de cada cidadão”.

O vice-governador Antônio Andrade ressaltou a importância da parceria entre governo estadual e os municípios na luta contra o mosquito. “A ação tem que ser contínua e nada melhor que a participação ativa e conhecimento do assunto por parte dos prefeitos na discussão, que é quem disponibiliza os recursos para as secretarias municipais”.

O secretário de Saúde sugeriu o apoio da AMM, devido à capilaridade no Estado, na realização de uma grande reunião com os representantes dos consórcios intermunicipais de Saúde de todas as regiões de Minas. “O intuito é estabelecer um acordo para que o governo estadual e municípios trabalhem em consonância no controle do mosquito”, afirmou.

Orientação

Foi de comum acordo a produção de conteúdo explicativo com orientações sobre onde o gestor deve utilizar os incentivos financeiros repassados pelo governo estadual – que juntos somam R$66 milhões – liberados por meio de resoluções, em outubro e dezembro do ano passado.

A resolução 4.969 de 21 de outubro de 2015 liberou o valor de RS36 milhões, a ser destinado na qualificação das ações de vigilância e controle pelas prefeituras, como combustível para o veículo dos agentes, compra de material e contratação. Já a resolução 5.101 de 29 de dezembro de 2015, direciona R$30 milhões para ações de controle e redução dos riscos da Dengue, Chikungunya e Zika, no âmbito de equipes de atenção básica e assistência aos pacientes.

Panorama

O superintendente de Vigilância Epidemiológica, Ambiental e Saúde do Trabalhador da SES, Rodrigo Said, apresentou aos presentes um panorama da situação epidemiológica em Minas. Cinco municípios estão em situação de risco: Ubá, Governador Valadares, Coronel Fabriciano, Pará de Minas e Bom Despacho.

Além disso, ressaltou que a SES tem disponibilizado remédios ligados ao tratamento das doenças para as cidades com alta incidência de casos. Caso seja necessária uma unidade de hidratação, contam também com o mobiliário para a estruturação do mesmo.

Foto:Renato Cobucci/ Imprensa MG

Publicado em 15/01/16

You may also like
Mobilização destina a sexta-feira como o dia de combate ao Aedes aegypti
AMM divulga carta de apoio aos municípios frente aos atrasos nos repasses de recursos para a área da saúde
Transferência de recursos do SAD para Bloco de Média e Alta Complexidade
Municípios ainda podem prorrogar prazos de obras no Sismob

Leave a Reply