Home > AMM > Presidente da AMM participa de reunião do Conselho Político da CNM, em Brasília

Presidente da AMM participa de reunião do Conselho Político da CNM, em Brasília

O presidente da Associação Mineira de Municípios (AMM) e prefeito de Moema, Julvan Lacerda, participou, nesta terça-feira, 11, de uma reunião do Conselho Político da Confederação Nacional de Municípios (CMN), junto com representantes de entidades estaduais e microrregionais de todo o país. Na pauta, estiveram as principais reivindicações do municipalismo. Foi enfatizada a necessidade de entidades municipalistas se engajarem em relação às pautas que impactam os entes locais, especialmente as que tramitam no Congresso Nacional

A entidade mostrou as conquistas obtidas pelo movimento municipalista neste ano, que também estão no Termo de Compromisso, entregue aos Parlamentares mineiros durante reunião em Brasília, no mês de maio.  Entre essas, a derrubada do veto ao projeto que trata do Imposto sobre Serviços (ISS).

O presidente da CNM, Paulo Ziulkoski falou sobre as mudanças que devem ocorrer em consequência da nova legislação e reforçou a importância da medida. “Aquele valor que colocamos no início, de R$ 6 bilhões, nós vimos que apenas os planos de saúde deverão representar mais de R$ 8 bilhões. Agora, tem muita coisa a ser adequada, mas nós queremos orientar toda essa questão”, destacou.

Outras questões, como a prorrogação do prazo para classificação dos Restos a Pagar, nepotismo, ações judiciais e royalties, foram abordadas.. Após a reunião do Conselho Político, a CNM promove almoço com parlamentares. Julvan Lacerda destaca a importância dessa aproximação com o movimento nacional e fortalece a importância dos prefeitos cobrarem dos seus parlamentares um olhar mais atencioso para as questões que afligem os municípios.

Julvan informou que, na parte da tarde, o Conselho Político da CNM, da qual ele é integrante, terá uma reunião no Palácio do Planalto, para ver a questão do refiz, da medida provisória que vai regulamentar o refiz do regime próprio.

Com informações da CNM