Home > COMUNICAÇÃO > Prefeituras fecham as portas dia 24

Prefeituras fecham as portas dia 24

Prefeitos deliberaram interrupção de serviços públicos e o bloqueio das principais rodovias que cortam o Estado

Na manhã desta quinta-feira (30/7), 70 prefeitos – representantes das 43 microrregionais do Estado – decidiram fechar as portas das prefeituras no próximo dia 24 de agosto. Serão interrompidos todos os serviços públicos, exceto os de urgência e emergência na Saúde. Além da paralisação, os prefeitos decidiram fazer o bloqueio das rodovias que cortam o Estado na mesma data.

A decisão, tomada em reunião realizada na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, em Belo Horizonte, tem como objetivo mostrar à sociedade o arrocho financeiro vivido pelos municípios que não têm recebido o respaldo dos governos federal e estadual.

O presidente da Associação Mineira de Municípios (AMM) e prefeito de Pará de Minas, Antônio Júlio, ressaltou que a crise que o país enfrenta é essencialmente política e a mais grave vivenciada nos seus 35 anos de vida pública. “Nós prefeitos estamos sem representatividade. Vemos um país sem comando e o Congresso Nacional não tem mostrado reação. As prefeituras estão fazendo adequações no orçamento e já demitiram muitos servidores. Estamos cortando na carne. A AMM vai dar todo o apoio aos prefeitos que decidirem aderir o movimento”.

prefeito-itajubá

O prefeito de Itajubá, Rodrigo Riera

O prefeito de Itajubá, no Sul de Minas, Rodrigo Riera, considera que a única saída encontrada para o atual contexto das administrações municipais é a paralisação. “Temos que tomar essa atitude. É preciso traduzir para a sociedade o que queremos e mostrar quais são as nossas dificuldades”.

Bruno Scalon, prefeito de Sacramento e diretor Regional da AMM no Alto Paranaíba, reforçou a importância de mostrar o motivo pelo qual haverá a paralisação. “Os repasses do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) e do ICMS estão em queda. Nós temos que buscar os recursos que estão faltando para não prejudicar a população”.

Cartilha

Para que a população entenda os motivos da mobilização, a AMM irá elaborar uma cartilha com as principais reivindicações das prefeituras. O documento será repassado a todas as microrregionais, que ficarão responsáveis por disseminar as informações em suas respectivas regiões. “O esclarecimento para a população é essencial porque é no município que os reflexos da crise são sentidos pelos cidadãos”, comentou Antônio Júlio.

Apoio do Legislativo

Um dos problemas relatados pelos prefeitos durante a reunião diz respeito à folha de pagamento. Para diminuir as despesas das prefeituras com funcionários cedidos, o deputado Estadual Arlen Santiago entrou com um Projeto de Lei na Assembleia Legislativa de Minas Gerais no intuito de proibir a cessão de servidores públicos municipais no Estado para associações, fundações, órgãos públicos estaduais e federais, e quaisquer outras autarquias.

De acordo com o presidente da AMM, este apoio do Legislativo é de extrema importância para o Executivo municipal. “Temos que acompanhar e cobrar a aprovação do projeto que trará benefícios para a folha de pessoal das prefeituras”, finalizou.

As fotos estão disponíveis no Flickr da AMM. Clique aqui para acessar.

Publicado em 30/07/15

You may also like
Divulgada lista de municípios habilitados a participarem do ICMS Esportivo ano base 2016
Municípios devem regularizar situação para evitar bloqueio de FPM
AMM lança manual de orientações aos prefeitos eleitos
Planejamento como ‘palavra de ordem’ para ajustar o orçamento municipal