Home > COMUNICAÇÃO > Prefeitos mineiros cobram apoio da bancada em reunião no Congresso

Prefeitos mineiros cobram apoio da bancada em reunião no Congresso

Após a subida da rampa do Congresso Nacional na tarde dessa quarta-feira, 14, os prefeitos mineiros que estão na Marcha participaram de uma reunião plenária com a bancada de Minas na Câmara dos Deputados. Os prefeitos foram recebidos pelo coordenador da bancada mineira, deputado federal Fábio Ramalho, que presidiu a reunião.

“A principal reivindicação dos prefeitos é o aumento dos 2%, estamos conscientes que ela é justa”, afirmou e ainda complementou que “o que todos nós queremos, os deputados e a bancada mineira, é a aprovação das exigências dos municípios brasileiros”.

Participaram da plenária os deputados federais Carlos Melles (DEM), Paulo Abi-Ackel (PSDB), Domingos Sávio (PSDB), Toninho Pinheiro (PP), Eros Biondini (PTB), Marcos Montes (PSD), Welinton Prado (PT), João Magalhães (PMDB), Alexandre da Silveira (PSD), Jô Moraes (PCdoB) e Reginaldo Lopes (PT). Os deputados presentes se mostraram dispostosa apoiar as reivindicações dos municípios brasileiros, principalmente a aprovação dos 2% do FPM. Também sinalizaram a importância de apoiar a Marcha dos prefeitos e se sensibilizaram com a causa municipalista.

 

Prefeitos se posicionam

O prefeito de São Domingos do Prata e presidente da AMEPI – Associação dos Municípios da Microrregião do Médio Rio Piracicaba, Fernando Rolla, participou do encontroe disse que há muito tempo participa da Marcha e sempre espera conseguir as reivindicações que são feitas pelos municípios todos os anos. “Estamos passando por várias dificuldades, somos crucificados pelo povo por não conseguir cumprir com as obrigações. Como está hoje não vamos acabar nunca com a pobreza”, disse.

O prefeito de Curvelo, Maurílio Guimarães, participou da plenária e reconheceu o trabalho realizado pela Confederação Nacional dos Municípios – CNM e da Associação Mineira de Municípios – AMM. “Essa é uma luta de muitos anos, estamos dependendo das emendas, dos Governos federal e estadual”, disse. Maurílio também falou sobre as dificuldades dos municípios como a judicalização da saúde, burocracia que onera os cofres municipais e a dificuldade de realizar licitações por falta de verba.

O prefeito de Nanuque e presidente da Amuc – Associação dos Municípios do Vale do Mucuri, Ramóm Ferraz, falou da pressão da população e da falta de recursos. “Viemos a Brasília dos quatro cantos do Brasil e precisamos sensibilizar a presidenta que estamos com o pires na mão porque não temos recurso, precisamos de uma ação mais incisiva para defender os direitos da população”, disse. Para ele, a situação dos municípios é caótica em todas as cidades mineiras. “Minas precisa ser mais competitiva, vemos as indústrias migrando para outros Estados e estamos perdendo espaço para outras regiões que oferecem melhores condições”, concluiu.

 

Senado sugere nova proposta para os 2%

Ainda no Congresso, o presidente da CNM, Paulo Ziulkoski, acompanhado de milhares de prefeitos aguardaram um encontro com os senadores. A senadora Ana Amélia (RS) conversou com os prefeitos sobre a criação de uma subcomissão de assuntos econômicos para aprovar a PEC 39. A senadora propôs um projeto mais viável à aprovação, sugerindo que os 2% do FPM seja pago em quatro anos, sendo 0,5% ao ano. Essa proposta foi a princípio repudiada pelos presentes, mas a senadora reforçou as questões políticas e a dificuldade da aprovação pelo Governo Federal. “Descobri na política que nem sempre o que queremos é viável, temos que estar abertos a negociação”, reforçou.

Veja na AMMTV como foi a marcha dos prefeitos ao Congresso Nacional na XVII Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios.