Home > COMUNICAÇÃO > Notícias > Prefeitos defendem eleições casadas durante Ação Municipalista em Matozinhos

Prefeitos defendem eleições casadas durante Ação Municipalista em Matozinhos

Além de conhecerem as pautas prioritárias a serem defendidas pelo municipalismo em Brasília, os prefeitos participantes do Ação Municipalista promovido em Matozinhos, na região central de Minas Gerais, nesta terça-feira, 15 de maio, abordaram uma importante questão que atinge diretamente a administração das prefeituras: a dificuldade que as eleições de dois em dois anos gera para o planejamento e a administração. O encontro promovido pela Confederação Nacional de Municípios (CNM), com o apoio da Associação Mineira de Municípios (AMM), reuniu cerca de 20 representantes de municípios, além de vereadores, secretários e servidores, que sugeriram que o assunto fosse levado para a Marcha a Brasília como uma das pautas prioritárias a serem debatidas.

O prefeito anfitrião, Antônio Divino, destacou que nenhum país consegue viver parando a cada dois anos para eleição. “Talvez seja a coisa mais importante para o Brasil melhorar. Seria extraordinário para o país ter eleição de quatro em quatro anos. Ganharíamos mais tempo de trabalho. O ano eleitoral é um ano praticamente perdido, além do seguinte ser de estruturação da prefeitura. E ficamos a dever, porque a população entende que temos solução pra tudo”. Além disso, Divino destacou a importância de se eleger bons parlamentares. “Eleger um bom Congresso Nacional é talvez mais importante do que o presidente. Nós temos ali dentro pessoas que não tem compromisso, não temos foco”.

O prefeito de Nova Lima e presidente da Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Belo Horizonte (Granbel), Vitor Penido, foi enfático ao defender as eleições casadas. “A pior coisa que tem no Brasil é isso. O prefeito geralmente entra no primeiro ano pra organizar e estruturar a casa e a hora que ele começa a respirar, o governador do estado e o presidente da república estão saindo, aí não se consegue andar com nenhum projeto, nem no estado e nem na União. E, mesmo depois de eleitos o novo governador e presidente, eles estarão organizando a nova equipe. Aí quando pensa em fazer um trabalho conjunto, não dá mais tempo porque o mandato do prefeito já está acabando”, reclamou.

A palestra do consultor da CNM e ex-presidente da AMM, Ângelo Roncalli,  destacou ainda as principais reivindicações municipalistas, bem como os projetos que estão para ser votados no Congresso Nacional e dependem da pressão nos parlamentares para que sejam votadas. Como exemplo: as principais conquistas do movimento municipalista em 2017, como: ISS, Encontro de Contas, Cefen, Precatórios entre outros;e as principais pautas municipalistas: AFM, 1% FPM, Atualização dos Programas Federais, Lei Kandir, Licitações, UPA, Creche, Calc, Improbidade;

A questão dos royalties do petróleo, que mesmo depois de todo trabalho e de todas as ações foi suspendida pelo Supremo também foi destaque. O movimento tem pressionado para que a Corte coloque a matéria em votação e um abaixo-assinado está sendo produzido para ser entregue à Corte durante a Marcha. Saiba mais aqui. (http://portalamm.org.br/movimento-municipalista-cobra-justica-sobre-a-redistribuicao-dos-royalties-de-petroleo/)

O vice-prefeito de Sete Lagoas, Duílio de Castro, também representando a Associação dos Municípios da Microrregião do Alto Rio das Velhas (AMAV), destacou o trabalho da AMM e das associações fazem para unir os prefeitos em torno dos principais eventos municipalistas do país, que são a Marcha a Brasília, que acontecerá entre os dias 21 e 24 de maio; e o 35º Congresso Mineiro de Municípios (CNM), marcado para 19 e 20 de junho.  “A AMM faz um trabalho muito importante e os prefeitos precisam estar unidos para que alguma mudança aconteça (…) Um palito de picolé se quebra fácil, mas 50 não é assim. Por isso esses eventos são importantes”.

Eventos Municipalistas

Além das pautas, os participantes dos encontros foram convidados para os principais encontros municipalistas do Brasil: o 35º Congresso Mineiro de Municípios, em Belo Horizonte, será realizado pela primeira vez no Mineirão, em Belo Horizonte, nos dias 19 e 20 de junho; e da XXI Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios, marcado para os dias 21, 22, 23 e 24 de maio, na capital federal.

O controlador interno da AMM, Rodrigo Lázaro, um dos responsáveis pelo processo de afiliação e do Diário Online da entidade, apresentou os serviços prestados pela AMM, explicou que existem técnicos de todas as áreas da prefeitura para auxiliar os prefeitos e servidores das prefeituras. Ele também convidou os presentes para participarem do 35º Congresso Mineiro de Municípios, realizado pela AMM nos dias 19 e 20 de junho, no Mineirão, em Belo Horizonte.

Os serviços prestados pela CNM também foram abordados. Marciley Coelho, do departamento de Articulação Política e Institucional. Ele explicou aos participantes que a CNM possui todas as áreas técnicas de uma administração municipal e uma expertise em ajudar os municípios com ações integradoras e que auxiliam para uma gestão eficiente e que proporciona desenvolvimento para os municípios.