Home > COMUNICAÇÃO > Departamento de Comunicação > Notícias > Ministério da Saúde registra redução de mortes por de dengue

Ministério da Saúde registra redução de mortes por de dengue

O Ministério da Saúde registrou diminuição de 83,7% no número de óbitos por dengue, passando de 37 em janeiro de 2014, para seis mortos no mesmo período deste ano. Já o número de casos da doença registrou um aumento de 57,2% quando comparado ao mesmo período de 2014. Foram registradas 40.916 notificações de casos de dengue em janeiro. Os números fazem parte do primeiro balanço de 2015.

Com o objetivo de intensificar a prevenção à doença, o Ministério da Saúde repassou mais R$ 150 milhões a todos os estados e municípios. Os recursos são exclusivos para qualificação das ações de combate e prevenção à doença.

De acordo com a técnica do departamento de Saúde da Associação Minera de Municípios (AMM), Juliana Marinho, esse aumento, já no primeiro mês do ano, serve de alerta à população e aos gestores.  “É preciso reforçar todas as ações para prevenção e combate à doença. Além disso, os profissionais de saúde devem ficar atentos aos sintomas das doenças e orientar corretamente os pacientes para que o tratamento seja iniciado rapidamente”.

A preparação contra a dengue foi reforçada com a distribuição de insumos estratégicos, como larvicidas, inseticidas e kits para diagnóstico. Além disso, o Ministério da Saúde elaborou e divulgou os planos nacionais de contingência de dengue e da febre chikungunya e assessorou estados na criação dos planos locais.

No final de 2014, o Ministério da Saúde, realizou, em parceria com os gestores locais, o Levantamento Rápido do Índice de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa) em 1.824 municípios. O levantamento é considerado um instrumento fundamental para orientar as ações de controle da dengue, por possibilitar aos gestores locais de saúde identificar os pontos mais críticos com a presença do mosquito transmissor e antecipar as ações de prevenção.

Desde novembro do ano passado, o Ministério da Saúde e as secretarias municipais de saúde veiculam campanha de combate à dengue e ao chinkungunya, que tem como slogan “O perigo aumentou. E a responsabilidade de todos também”. São divulgadas orientações à população sobre como evitar a proliferação dos mosquitos causadores das doenças e alertar sobre a gravidade das enfermidades.

O coordenador do Programa Nacional de Controle da Dengue do Ministério da Saúde, Giovanini Coelho, ressaltou a importância de manter a vigilância no combate ao mosquito Aedes aegypti. “Em 15 minutos semanais é possível fazer uma vistoria em casa e acabar com qualquer possível criadouro do mosquito. Toda a vizinhança precisa se engajar no combate ao mosquito”, convocou Giovanini.

O coordenador alertou também para o hábito das pessoas de estocar água em casa, especialmente neste período de estiagem. “Acumular água em casa sem proteção, sem que os vasilhames estejam corretamente fechados, facilita a reprodução do mosquito transmissor da dengue”, ressaltou o coordenador, lembrando que não pode deixar também de considerar os outros fatores de risco para a procriação de mosquitos, como calhas, pneus, brinquedos, caixas d’água destampada, vasilhas de água para animais.

You may also like
Mobilização destina a sexta-feira como o dia de combate ao Aedes aegypti
AMM divulga carta de apoio aos municípios frente aos atrasos nos repasses de recursos para a área da saúde
Transferência de recursos do SAD para Bloco de Média e Alta Complexidade
Municípios ainda podem prorrogar prazos de obras no Sismob