Home > ÁREAS TÉCNICAS > Saúde > Notícias - Saúde > Crianças e jovens devem receber vacinas na Campanha Nacional de Multivacinação de setembro

Crianças e jovens devem receber vacinas na Campanha Nacional de Multivacinação de setembro

O cuidado com a saúde das crianças e adolescentes deve começar na prevenção. Por isso, entre os dias 19 e 30 de setembro, todas as crianças menores de 5 anos e jovens com idade entre 9 e 14 anos devem participar da Campanha Nacional de Multivacinação.

O objetivo da campanha é atualizar o cartão de vacinas dos dois grupos, oferecendo proteção para 17 doenças diferentes. A vacinação é gratuita e disponibilizada pelo Sistema Único de Saúde (SUS), em todas as Unidades Básicas de Saúde do Estado. É fundamental que todos compareçam com o cartão de vacinação, para que os profissionais de saúde possam avaliar se há alguma vacina que ainda não foi administrada ou se há doses que necessitam ser aplicadas.

Menores de 5 anos

Crianças menores de cinco anos devem ter o cartão de vacinação atualizado durante a Campanha de Multivacinação. Para isso, basta que pais, familiares e responsáveis levem os pequenos à Unidade Básica de Saúde mais próxima. Ao todo, 13 vacinas diferentes poderão ser atualizadas durante a campanha, incluindo a que oferece proteção contra a poliomielite. Sarampo, caxumba, rubéola, febre amarela e varicela (catapora) são outras doenças que podem ser prevenidas com a atualização do cartão de vacinas.

content_serie_multivacinacaoinfantil-1-1

Crianças e adolescentes

Quem tem entre 9 e 14 anos também está contemplado na Campanha Nacional de Multivacinação. Para o público compreendido dentro dessa faixa etária, as doenças preveníveis com a vacina são: hepatite B, febre amarela, sarampo, caxumba, rubéola, difteria, tétano, coqueluche e, no caso das meninas, HPV.

content_post_multivacinacaol_2_criancas_e_adolescentes

Cartão de vacinação

Para quem estiver sem o cartão, por motivo de perda ou outro motivo, a orientação é procurar a unidade básica de saúde onde a criança ou adolescente costuma se vacinar, pois lá terá o cartão espelho, documento que fica arquivado com os registros de doses que foram aplicadas, bem como as doses que deverão ser administradas. Caso contrário, deverá ser iniciado todo um esquema, de acordo com a faixa etária correspondente.

Vale reforçar que o cartão de vacinação é um documento de grande importância aos serviços de saúde e, diante disso, precisa ser bem conservado e preservado.

Fonte: Agência Minas. Foto Gil Leonardi/Imprensa MG.

Publicado em 15 de setembro de 2016.