Home > COMUNICAÇÃO > Departamento de Comunicação > Notícias > CQGP alerta sobre a importância do acompanhamento do Simples Nacional por parte dos municípios

CQGP alerta sobre a importância do acompanhamento do Simples Nacional por parte dos municípios

Grande parte dos municípios mineiros não acessam o portal do Simples Nacional. Esta falta de fiscalização e acompanhamento pode gerar evasão de receitas, com o aumento na sonegação e inadimplência por parte das micro e pequenas empresas optantes pelo sistema. Além disso, os Tribunais de Contas de todo País estão se preparando para fiscalizar a arrecadação correta da receita municipal, por ser uma responsabilidade fiscal.

O curso de “Gestão do Simples Nacional nos Municípios”, realizado pelo Centro de Qualificação para a Gestão Pública (CQGP), nos dias 27 e 28 de setembro, reforçou as obrigações municipais com o sistema tributário unificado. “O setor de administração tributária dos municípios defere ou não o ingresso da empresa no Simples Nacional. Como eles não estão acessando o portal, as empresas optantes estão sendo aprovadas por omissão. Ou seja, as empresas entram, mesmo estando com débitos”, ressaltou o professor e consultor especializado em Tributos Municipais e Planejamento, Marcílio Melo.

Segundo ele, o município que não institui e arrecada corretamente os seus tributos, está cometendo irresponsabilidade fiscal e sujeito a penalidades da lei.

O curso mostrou como a gestão do Simples Nacional para os municípios é importante para que a arrecadação tenha uma melhoria significativa. “E não se trata de um aumento de tributos, e sim de uma gestão para que se haja um combate à sonegação e inadimplência. A deficiência de acompanhamento desse sistema unificado tributário gera uma grande evasão de receitas”, disse Marcílio.

Os presentes também receberam a informação que a Receita Federal (RF) irá disponibilizar, em outubro, um arquivo com todos os CNPJ´s ativos, por meio do portal do Simples. O município com certificado digital deve capturar esse arquivo, verificar quais deles possuem irregularidades, para devolverem à RF as empresas que ficam impedidas de ingressar no Simples. “Esse trabalho começa em outubro e vai até fevereiro do ano que vem. E todos os anos teremos essa troca de informações com o governo federal”, explicou Melo.

A analista de controle externo do TCE-MG, Marisa Nunes, participou do curso e reconheceu a importância deste acompanhamento, inclusive em relação à fiscalização por parte dos órgãos de controle. “Muitos acham que, no Simples Nacional, não precisa fazer nenhuma verificação, pelo fato do sistema ser federal. Mas, se o gestor acompanha a arrecadação do Simples, ele vai conhecer qual o potencial de movimentação econômica existente no município. E o TCE vai começar a acompanhar essa arrecadação e fiscalização municipal, com o compromisso de fazer a correta arrecadação”

O que é o Simples Nacional

É um regime tributário diferenciado, que contempla empresas com receita bruta anual de até R$ 3,6 milhões. Ele foi lançado no dia 30 de junho de 2007 para descomplicar a vida dos micro e pequenos empresários. A condição para a empresa permanecer neste sistema de arrecadação é a adimplência, ou seja, estar em dia com os seus pagamentos.

Antes do Simples, empresas de portes menores pagavam impostos federais, estaduais e municipais por meio de guias e datas separadas. As alíquotas eram também menos favoráveis, por vezes proporcionais às aplicadas a grandes empresas.

O regime Simples Nacional destaca-se pelo recolhimento tributário unificado dos impostos do simples:

  • Imposto sobre a Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ);
  • Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI);
  • Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL);
  • Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (COFINS);
  • Contribuição para o PIS/Pasep;
  • Contribuição Patronal Previdenciária (CPP);
  • Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e Sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS);
  • Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS).

 

You may also like
Planejamento em saúde no primeiro ano de gestão foi tema de curso do CQGP
Curso do CQGP apresenta ferramentas do Sistema de Convênios – SICONV
CQGP capacita terceira turma de formação de pregoeiros no ano
Municípios devem encaminhar termo de indeferimento do Simples Nacional