Home > Destaques > Coragem e empoderamento deram o tom às palestras do I Encontro Mineiro de Prefeitas, Vice-Prefeitas e Vereadoras

Coragem e empoderamento deram o tom às palestras do I Encontro Mineiro de Prefeitas, Vice-Prefeitas e Vereadoras

Pela primeira vez na história do Congresso Mineiro de Municípios, AMM promove um encontro específico para as gestoras e parlamentares

Em um País de 5.570 municípios, apenas 648 cidades têm prefeitas mulheres. A representatividade feminina na política ainda é pequena e precisa crescer muito, de acordo com os palestrantes do I Encontro Mineiro de Prefeitas, Vice-Prefeitas e Vereadoras, no 35º Congresso Mineiro de Municípios.

“Num país como o nosso, com tanto machismo, uma mulher tem que ter coragem para se candidatar. Porque, enquanto faz campanha, ela terá que continuar sendo mãe e esposa exemplar. Ela não pode falhar”, salientou Tânia Ziulkoski, fundadora do Movimento Nacional de Mulheres e presidente da mesa “Mulheres no poder: diálogos sobre empoderamento feminino – a nossa luta é todo dia”. “Precisamos participar da vida pública deste País. A vida da gente é política, não importa onde a gente for”, acrescentou Tânia.

Na abertura do evento, o presidente da Associação Mineira de Municípios (AMM), Julvan Lacerda, lembrou que, mesmo com várias diretoras do gênero feminino, a entidade realizadora do Congresso ainda precisa aumentar esse número. “Precisamos trazer as mulheres para ocupar esses lugares. Acho muito importante que sejamos agentes multiplicadores dessas ideias e que incentivemos a participação das mulheres no movimento municipalista”, disse ele.

História de empoderamento

Durante o encontro, na Sala Egito do Mineirão, a prefeita de Guidoval, na Zona da Mata, e diretora da AMM, Soraya Vieira Queiroz, relembrou a história de superação e empoderamento que a fez chegar ao cargo de chefe do Executivo local em 2013 – após se engajar na reconstrução da cidade que, um ano antes, havia sido devastada por uma enchente sem precedentes.

Durante a enchente, Soraya, ainda professora na época, foi para as ruas, limpou a cidade e reuniu pessoas para um mutirão. Durante o processo, se empoderou. “Foi o momento de mostrar que eu tinha poder. Guidoval nunca havia tido uma prefeita, apenas uma vereadora em toda a história. Resolvi então ir para as eleições, venci com uma grande diferença e tirei aquele coronelismo que ocupava havia 25 anos a prefeitura de Guidoval”, disse ela, sublinhando que, assim como a cidade foi reerguida em 2012, agora é a vez de “reconstruir o Estado de Minas Gerais”.

Confira as fotos do evento aqui (clicando aqui).

Publicado em 20 de junho de 2018.