Home > COMUNICAÇÃO > Autoridades marcam presença na abertura do Fórum

Autoridades marcam presença na abertura do Fórum

Governador do Estado de Minas Gerais, Alberto Pinto Coelho, e o economista Gustavo Loyola marcaram presença na abertura do Fórum Técnico dos Municípios Mineiros nessa segunda-feira, 10 de novembro. O evento, que teve início às 9h30, foi aberto pelo presidente da Associação Mineira de Municípios (AMM), Antônio Carlos Andrada, e contou também com o presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, Dinis Pinheiro, o vice-prefeito de Belo Horizonte e secretário municipal de Meio Ambiente, Délio Malheiros.

A cerimônia foi aberta pelo presidente da AMM, Antônio Carlos Andrada, que falou sobre a expectativa do Fórum. “O Fórum Técnico é um espaço de troca de conhecimento, onde durante três dias, os gestores municipais podem conhecer sobre diversas áreas técnicas que fazem parte da administração municipal”. O presidente também falou das dificuldades dos municípios em gerir as prefeituras e executar todos os projetos de saúde, educação, meio ambiente, dentre outras. “Acabamos de passar pelo período eleitoral, a partir de agora teremos mais dificuldades financeiras” e complementou “a atual política nacional não favorece os municípios”.

O presidente da ALMG, Dinis Pinheiro, reforçou o fato dos gestores municipais viverem a dificuldade de executar todas as políticas públicas. “São os municípios que executam o atendimento à saúde dos cidadãos, são eles que precisam de apoio para conseguir levar os atendimentos básicos à população”, afirmou. Ele falou também da realidade dos municípios brasileiros: “50% do povo brasileiro não tem saneamento básico e o número de analfabetos também tem aumentado”.

Palestra magna: Gustavo Loyola

O cenário econômico para os próximos anos foi a pauta da palestra magna com o economista e ex-presidente do Banco Central, GustavoLoyolaGustavo Loyola. Ele falou amplamente sobre o cenário brasileiro, que tem sido afetado pela falta de crescimento e aumento da inflação. O economista relatou em sua apresentação que o Brasil vem crescendo abaixo de outros países em desenvolvimento e dos vizinhos latinoamericanos. “O Brasil tem crescido uma média de 1,6% ao ano, bem abaixo da média de outros países como Chile, Peru, Colômbia, México, dentre outros. O problema não é a queda do crescimento mundial, mas as políticas econômicas executadas pelo Governo Federal”, disse. Ele pontuou que o Brasil não cresce por causa dos seus próprios problemas.

Loyola falou também que o Brasil pode sofrer com o crescimento dos Estados Unidos, que vem tendo um aumento e chegou a 3,5%. Isso pode trazer benefícios e consequências, como por exemplo, valorização do dólar em relação a outras moedas. “Isso pode gerar um enfraquecimento do Real, e com isso, pode provocar a inflação dos produtos importados”, disse. Ele falou ainda do cenário mundial, e de como a Europa ainda está saindo da crise e de como  a China vem crescendo abaixo da média.

Gustavo Loyola falou sobre como a inflação pode causar danos: “a inflação mais alta tem provocado uma corrosão no poder de compra da família. Isso gera incerteza, dívidas, e reduz a previsibilidade para os gestores, inclusive os gestores municipais”. Para ele, dentre os desafios da presidente Dilma está a volta da confiança e a necessidade de não deixar o país perder o “grau de investimento”.  “Se perdermos o grau de investimento o país passa a ser um investimento de alto risco e isso trará problemas bem maiores”, confessou.

Sobre o risco que esse cenário econômico trará aos municípios, Gustavo Loyola foi taxativo em dizer que o aumento do FPM, que deve chegar a 24,5%, pode trazer uma melhoria para os municípios, mas que isso não é suficiente, diante das políticas que o Governo vem fazendo como redução do IPI para o setor automotivo e outros setores. “Uma solução para os gestores municipais chegarem ao equilíbrio das contas públicas é aumentar a arrecadação municipal, como por exemplo, a cobrança efetiva do ISS e IPTU, porém isso deve ser feito de forma cautelosa, já que os brasileiros têm grande dificuldade em aceitar o aumento de impostos”, concluiu.

A abertura do Fórum Técnico também contou a presença de representantes de empresas patrocinadoras, dentre elas, Via Solo, Conselho de Arquitetura e Urbanismo de MG (CAU), Anglo American, Cemig, Loc Via, Cimento Nacional e CMBB. O Fórum Técnico de Municípios Mineiros é realizado pela Associação Mineira de Municípios e ocorre no Minascentro, em Belo Horizonte, até quarta-feira, 12 de novembro. Veja programação completa no www.portalamm.org.br