Home > COMUNICAÇÃO > AMM homenageia as mulheres

AMM homenageia as mulheres

No Dia Internacional da Mulher, celebrado em 8 de março, a Associação Mineira de Municípios (AMM) homenageia as prefeitas, secretárias municipais, vereadoras, primeiras-damas, servidoras públicas e colaboradoras da instituição pelo dia de luta pela valorização e igualdade de direitos. À frente da superintendência-geral da Associação, Cristina Márcia Mendonça, lista os desafios enfrentados pelas mulheres nos dias atuais e conta um pouco da rotina da mulher contemporânea que concilia as funções de mãe e profissional.

Cristina Márcia Mendonça assumiu a Superintendência em abril de 2014 e tem vasta experiência junto às administrações municipais. Com formação em Ciências Contábeis, é pós-graduada pela PUC Minas e cursa MBA pela Fundação Getúlio Vargas. Tem experiência na iniciativa privada e ocupou diversos cargos no Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais (TCE-MG), dentre os quais o de inspetora de Controle Externo, secretária-geral, diretora de Fiscalização Financeira e Orçamentária, diretora-geral de Controle Externo, superintendente de Relações Institucionais e Planejamento Organizacional, e superintendente de Comunicação e Relações Institucionais.

– Qual é o diferencial da gestão feminina na instituição?

O olhar feminino foca o detalhe e, ao mesmo tempo, faz uma leitura do contexto. Todos os superintendentes que passaram pela AMM fizeram um bom trabalho e deixaram registrada a sua marca, mas o diferencial feminino é esse olhar para a estruturação dos setores, para a organização das informações e procedimentos e para o estabelecimento de rotinas. A mulher cuida muito bem dessas tarefas relacionadas à gestão.

– Você vem de uma longa experiência no poder público, ocupou posições e cargos relevantes no TCE-MG. Quais os principais desafios encontrados pelas mulheres gestoras?

A conciliação das inúmeras funções que as mulheres têm: família, trabalho, formação técnica. No meu caso, ainda estudo, faço MBA. Combinar tudo isso com a vida do trabalho, que já tem as suas exigências, é o principal desafio enfrentado pelas mulheres, ou seja a dupla/tripla  jornada.

– A participação da mulher na política brasileira tem aumentado, mas ainda é muito pequena, se compararmos aos eleitos para ocuparem cargos nos poderes legislativo e executivo. Como fazer para estimular o crescimento da participação feminina na política e melhorar estes números?

Por meio da inserção da mulher na política. Porém, muitas mulheres se afastam da política pelo fato de ter uma exposição excessiva perante o público e por entrar em um meio que é eminentemente masculino. A participação da mulher na política exige o rompimento de alguns paradigmas.

Desde os primórdios a mulher era responsável por cuidar da prole enquanto o homem saia para obter o sustento. Há muito pouco tempo a mulher conquistou o direito a voto, por isso é mais que natural que também, tardiamente, elas passem a se envolver na política.

– Na sua gestão, a associação tem buscado cada vez mais firmar parcerias, apoios institucionais com as microrregionais e o envolvimento com todas as prefeituras do Estado. Você tem buscado essa conciliação e soluções em prol das causas municipalistas?

Sempre. Presenciamos muitas mudanças na área da administração e hoje em dia, por exemplo, uma expressão em desuso é “funcionário”. Atualmente falamos “colaborador” porque vivemos em um tempo em que as coisas só ocorrem por meio da parceria. Um exemplo é a questão da transferência de ativos da iluminação pública onde a AMM saiu na frente, conseguindo a prorrogação do prazo para a transferência dos ativos e posteriormente incentivando a formação de consórcios. Também podemos citar a formação de consórcios que propiciou um processo de colaboração das microrregionais com a própria AMM e com os órgãos do governo estadual e federal. A nossa saída para enfrentar um quadro de crise está na troca de experiências, na colaboração e no apoio mútuo.

– Como é o seu cotidiano de mulher, mãe e trabalhadora?

Tenho sempre para mim o parâmetro: “em caso de despressurizacão, primeiro coloque a máscara em você para que depois consiga atender quem está do seu lado”. Se você não investir em uma qualidade de vida e na saúde, você não tem também a energia necessária para cuidar das outras coisas. Foco muito no cuidado com a saúde e com a alimentação. Faço exercícios físicos porque que  te dá o vigor necessário para enfrentar o dia a dia. Também tenho reservado um tempo para a minha família e para o lazer. Quando eu estou aqui, na AMM, estou 100% presente. O segredo é você saber dividir e dosar e ter o tempo para cada coisa. Acho muito importante que o tempo que você dedica ao trabalho seja de qualidade para realizar uma boa entrega. É possível dividir e requer bastante consciência. Tem dias que você sacrifica uma coisa em detrimento de outra, mas acho que possível sim, com equilíbrio conciliar todas as atividades.

rodape-de-materia-cmm32-01

You may also like
Pesquisa da AMM mostra renovação nas gestões municipais mineiras
PEC garante assistência social a mulheres vítimas de violência
Curso discute o controle interno em serviços de engenharia
Antônio Júlio defende a importância do administrador na gestão pública