Home > ÁREAS TÉCNICAS > Desenvolvimento Economico > Notícias - Desenvolvimento Econômico > AMM apresenta a oficina do consórcio para o corpo técnico da EMATER

AMM apresenta a oficina do consórcio para o corpo técnico da EMATER

No dia 19 de dezembro de 2013 o Consultor de Desenvolvimento Econômico da AMM Leandro Rico Moyano, esteve na sede da EMATER, a pedido do Diretor Técnico Milton Flávio Nunes, para apresentar ao corpo técnico da entidade a “Oficina do Consórcio” com propósito de selar um acordo de cooperação para que a EMATER desenvolva projetos de agroindústrias familiares com objetivo de fomentar o desenvolvimento econômico dos municípios consorciados.

Segundo o consultor de Desenvolvimento Econômico Leandro Rico Moyano da AMM, coordenador da Oficina do Consórcio, revela que a EMATER era o elo que faltava na “Oficina do Consórcio”, projeto criado pela AMM que visa assessorar a formação dos Consórcios Intermunicipal nos moldes da Lei 11.107/2005, se colocando como estância junto aos parceiros para o encontro de idéias e acordos.

Com a formação dos consórcios os municípios terão a oportunidade de viabilizar cooperativamente a implantação do SIM – Serviço de Inspeção Sanitária. Consequentemente surgirá novas agroindústrias, das quais muitas delas já produzem seus produtos, porem na ilegalidade em razão da ausência de inspeção, cujo serviço é financeiramente inviável para os pequenos municípios. Pensando nisso, a Oficina do Consorcio propôs a EMATER para que desenvolva os projetos de agroindústrias com vista para adesão Sistema Unificado de Atenção a Sanidade Agropecuária (SUASA) ou inicialmente ao Sistema Estadual de Inspeção (SISEI), o que daria maior garantia de investimentos aos novos empreendedores rurais.

Atualmente, em nosso estado, não existe oficialmente um órgão que desenvolva os projetos de agroindústrias normatizados voltados para o agricultor familiar, ressalta Leandro: “O pequeno agricultor, quando percebe que pode crescer, inicia de forma doméstica o crescimento do seu negocio sem a orientação devida. E quando chega o momento de legalizar o seu produto junto aos agentes fiscalizadores, fica impedido em decorrência de toda a irregularidade com que ele progressivamente foi estruturando o seu empreendimento. E com a participação do IMA e EMATER na elaboração dessas plantas produtivas, iniciaríamos uma outra etapa no fomento desse setor”.

Estiveram presentes na reunião os representantes do projeto “Estado em Rede” da SEPLAG – Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão de Minas Gerais e do IMA  – Instituto Mineiro de Agropecuária, cujo órgão possui uma interface direta nos projetos das agroindústrias, no que tange sobre a Lei de Inspeção Sanitária, que deve ser aplicada desde a concepção das plantas (layout) até os processos de produção de produtos de origem animal.