Home > COMUNICAÇÃO > Departamento de Comunicação > Notícias > AMM apoia Programa de Ações Estratégicas no Vetor Oeste da RMBH

AMM apoia Programa de Ações Estratégicas no Vetor Oeste da RMBH

A Associação Mineira de Municípios (AMM) sediou, nesta sexta-feira, 24 de junho, reunião entre o Instituto Horizontes e representantes dos dez municípios que compõem o vetor Oeste da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), para buscar apoio na implantação do Programa de Ações Estratégicas (PAE). O projeto visa estimular, na reião, grupos específicos da sociedade para definirem e executarem ações estratégicas promotoras de desenvolvimento integrado e sustentável.

O superintendente da AMM, Gustavo Nassif, reforçou o apoio da associação ao projeto e destacou que “reuniões estratégicas e bem definidas para tratar assuntos como o da pauta engrandece as discussões. Por isso, as portas da AMM estarão sempre abertas e a equipe técnica disponível para auxiliar nas questões municipalistas A sequência do projeto é essencial”, afirma.

O trabalho parte da constatação de uma situação de crise nessa região, que abrange os municípios de Belo Horizonte, Betim, Contagem, Ibirité, Igarapé, Juatuba, Mário Campos, Mateus Leme, São Joaquim de Bicas e Sarzedo. O Vetor Oeste é o principal elemento da estrutura urbana da metrópole, não só pela sua extensão territorial, como também pela elevada concentração de atividades produtivas, geradoras de emprego e renda, se constituindo no eixo de maior dinamismo econômico e social.

Na sua fala, o presidente do Instituto Horizontes, Teodomiro Diniz Camargos, ressaltou que o grande problema do vetor é a secção de relacionamento inter-institucional. “Os municípios não conversam, não tem inter-relacionamento entre os seus órgãos, e todos têm problemas comuns”. Segundo ele, os grupos que tem participado das reuniões já compreenderam isso: a necessidade de aproximação pra fazer uma discussão coletiva.

Para Teodomiro, o momento de crise política precisa trazer alguma oportunidade de diálogo mais aberto com os setores da sociedade. “A crise política é seguramente por conta da falta de participação dos cidadãos. A nossa visão de vetor é nesse sentido. O grande trabalho é a união de pessoas em busca de uma administração que atenda aos anseios da sociedade”, destacou.

A gerente de Planejamento do Desenvolvimento Metropolitano de Belo Horizonte, Adriana Giroletti, disse que Belo Horizonte incorporou em seu planejamento estratégico a inter-relação com os municípios da região metropolitana. Ela destacou a importância do PAE. “Entendemos que, ao nos  juntarmos, conseguimos potencializar os objetivos e levar ao desenvolvimento local”.

Segundo Adriana, Belo Horizonte tem trabalhado a sua inter-relação, no sentido de crescer em conjunto com os municípios. “Incorporamos essa diretriz e temos trabalhado sinergia, planejamento integrado, coordenado com esses objetivos, que é o desenvolvimento da RMBH e das condições de vida do cidadão”.